1 de fev de 2013

PTB ANUNCIA APOIO A HENRIQUE ALVES PARA PRESIDENTE DA CÂMARA




BRASILIA (DF) – O líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (RN), recebeu, nesta manhã, o apoio do PTB à sua candidatura para a Presidência da Câmara dos Deputados. Henrique Eduardo Alves se reuniu com o líder do PTB Jovair Arantes (GO) e o deputado Nelson Marquezelli (SP). Jovair Arantes confirmou que o Partido Trabalhista Brasileiro vai votar em Henrique. A bancada do PTB conta com 20 deputados federais.

Henrique Eduardo Alves agradeceu o apoio e a confiança do PTB. Ele reforçou o compromisso de campanha de valorizar a imagem do Parlamento e fortalecer a Câmara Federal. A eleição da nova Mesa Diretora da Câmara dos Deputados está marcada para as 10h da próxima segunda-feira, dia 04 de fevereiro.

Assessoria de Imprensa
Liderança do PMDB
Câmara dos Deputados

www.henriqueeduardoalves.com.br
Twitter: @HenriqueEAlves

Eleito com 56 votos, Renan Calheiros volta ao comando do Senado

Renan Calheiros (PMDB-AL) nos corredores do
Senado pouco antes da eleição que definiu seu
nome como novo presidente da Casa (Foto: Ed
Ferreira / Estadão Conteúdo)


O Senado elegeu nesta sexta-feira (1º), com 56 votos, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) como presidente da Casa e do Congresso Nacional. Indicado pelo PMDB, maior bancada do Senado, e alvo de denúncia da Procuradoria Geral da República, Renan assume pela segunda vez o comando do Legislativo.
Renan disputou o posto com Pedro Taques (PDT-MT), que teve apoio de partidos da oposição e de senadores "independentes", que não costumam seguir orientação partidária. Taques teve 18 votos. Dois senadores votaram em branco e dois senadores votaram nulo.
No seu primeiro discurso após ser eleito presidente do Senado, Calheiros fez homenagem a Sarney. "Faço uma deferência especial ao presidente José Sarney, um visionário cuja história política é única. Foi ele que nos conduziu da escuridão da ditadura para a luminosidade democrática, legalizando partidos, a liberdade sindical e banindo a censura do Brasil.
Renan também defendeu a modernização da Casa. "Temos agora a oportunidade de aprofundar a mudança de costumes e práticas. O Senado precisa se modernizar, se abrir ainda mais para a modernidade."
Renan Calheiros retoma a Presidência da Casa após seis anos. Em 2007, ele deixou o cargo em meio a denúncias de que usou dinheiro de lobista para pagar pensão de uma filha fora do casamento. Absolvido pelo plenário, Renan continuou como senador e era, até agora, líder da bancada do PMDB no Senado.
Em razão dos mesmos fatos de 2007, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, denunciou o Renan ao Supremo Tribunal Federal (STF) na semana passada pelos crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documentos falsos. Se o Supremo aceitar a denúncia, Renan Calheiros será réu e responderá a processo criminal.
A denúncia enfraqueceu a candidatura do peemedebista, que perdeu apoio do PSDB e até do PSB, partido aliado do governo federal.  Mesmo assim, continuou como favorito ao cargo, já que contou com votos do PT, da maioria dos partidos da base aliada e dos peemedebistas, com exceção dos "independentes".


Renan vai substituir José Sarney (PMDB-AP) na presidência do Senado e do Congresso, tornando-se o terceiro na linha de sucessão para presidente da República, atrás apenas do vice-presidente da República e do presidente da Câmara dos Deputados.
Caberá a ele comandar sessões de votação, definir as pautas do plenário do Senado e do Congresso, além de convocar votações extraordinárias e dar posse aos senadores.  O presidente do Senado também preside a Mesa Diretora, que comanda as atividades da Casa, com orçamento de mais de R$ 3,5 bilhões e mais de 6,4 mil funcionários.
Uma das primeiras tarefas de Renan será resolver o impasse em torno da votação dos mais de 3 mil vetos presidenciais pendentes na pauta. No ano passado, em meio à pressão de parlamentares para derrubar o veto presidencial à Lei dos Royalties, o ministro Luiz Fux, do STF, determinou a votação cronológica dos mais de 3 mil vetos anteriores.
Além dos royalties do petróleo, estão na fila vetos ao projeto do novo Código Florestal, à lei que regulamenta os gastos em saúde e o que impediu o fim do fator previdenciário.
Outra tarefa do novo presidente de Senado e Congresso será comandar a votação do Orçamento de 2013, que prevê as receitas e despesas dos três poderes para o ano. A votação, que deveria ter ocorrido no ano passado, está prevista para ocorrer na próxima semana, quando termina o recesso legislativo.
Ao discursar antes da eleição, Renan comentou discursos de outros senadores sobre ética e disse que "a ética é dever de todos" no Senado.
“Alguns aqui falaram sobre ética e, seria até injusto com esse Senado, que aprovou celeremente, como nunca tão rapidamente outra matéria, a Lei da Ficha Limpa, demonstrando que esse é compromisso de todos nós. Eu queria lembrar que a ética não é objetivo em si mesmo. O objetivo em si mesmo é o Brasil, é o interesse nacional. A ética é meio, não é fim. A ética é dever de todos nós", disse Renan.
Perfil
Formado em direito pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Renan Calheiros foi eleito deputado federal em 1982 pelo PMDB. Em 1994, assumiu o primeiro mandato como senador.
Em 1998, no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1955-2002), foi escolhido para comandar o Ministério da Justiça, cargo que ocupou até 1999.
Reeleito senador em 2002, Renan Calheiros e o PMDB decidiram apoiar o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010). Em 2005 foi eleito presidente do Senado e do Congresso Nacional, cargo que deixou em 2007, acuado por processos que poderiam custar seu mandato.
Atualmente, o senador é investigado em inquérito no STF pelo suposto uso de notas fiscais frias para justificar, em 2007, que tinha renda para pagar a pensão da filha com a jornalista Mônica Velloso. O peemedebista apresentou as notas, referentes a suposta venda de bois, para se defender da suspeita de que a pensão era paga por um lobista de uma empreiteira. O escândalo levou à renúncia de Renan comando do Senado em 2007.
O mesmo escândalo que derrubou Renan Calheiros voltou aos jornais com a denúncia do procurador-geral, Roberto Gurgel.

fonte: portal g1.com

Samu começa a funcionar em Pau dos Ferros, Apodi e Areia Branca

Médico Luiz Roberto, coordenador Estadual do SAMU 

O coordenador estadual do SAMU, médico Luiz Roberto Fonseca, informou ao Defato.com na manhã desta quinta-feira (31) que as unidades descentralizadas do SAMU dos municípios de Areia Branca, Apodi e Pau dos Ferros entraram em atividade.
A regulação dos pacientes destas cidades está sendo feita pela Central do Samu Metropolitano, localizada no município de Macaíba. O médico Luiz Roberto disse que assim como estas três, Assu também está sendo regulada a partir de Macaíba.
Ele destaca a importância do cidadão ter conhecimento de como funciona o sistema SAMU. Ele destaca que não vai aceitar em hipótese alguma (é uma determinação do Ministério da Saúde) que o gestor municipal transforme a unidade do SAMU em ambulancioterapia.
A princípio, a regulação dos pacientes de Mossoró e Natal não estão com a Central Estadual do SAMU, porém esta é a proposta do Governo do Estado. “Este é o melhor caminho, pois assim teremos o gerenciamento real dos leitos do SUS existente no estado”, explica Luiz Roberto.
Segundo Luiz Roberto, o Governo do Estado está aguardando a Secretaria Municipal de Saúde de Natal se organizar para também integra-la a Central Estadual de Regulação de leitos. O mesmo deve acontecer também com a Regulação do SAMU em Mossoró.
Após colocar em funcionamento as unidades de Areia Branca, Apodi e Pau dos Ferros, atendendo a população de aproximadamente 40 cidades, o próximo passo é colocar em funcionamento as unidades de Caraúbas, Baraúna e São Miguel.
Sala de estabilização - Todas as cidades que terão unidades descentralizadas do SAMU terão em seus respectivos hospitais uma sala de estabilização funcionando, com equipe médica completa. "O paciente é socorrido pelo SAMU do local da ocorrência para a sala de estabilização, onde tem o quadro estabilizado e daí enviado para o hospital de referência na região para o tipo de enfermidade do paciente", explica o médico.

Tribunais superiores retomam atividades nesta sexta-feira

Depois de recesso de mais de um mês, os tribunais superiores retomam o trabalho hoje (1º). A abertura do ano judiciário no Supremo Tribunal Federal (STF) está marcada para as 10h. Conduzida pelo presidente Joaquim Barbosa, a cerimônia terá a participação do vice-presidente Michel Temer e do presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS).
 
A tradição no STF prevê discurso dos chefes dos Três Poderes. A sessão será protocolar e não haverá julgamento de processos, o que ocorrerá somente na semana que vem. A Corte começa 2013 com uma cadeira vaga, pois a presidenta Dilma Rousseff ainda não indicou o substituto do ministro Carlos Ayres Britto. Ele foi aposentado compulsoriamente no ano passado ao completar 70 anos.

MESMO SEM RECEBER O SALARIO DO MÊS DE DEZEMBRO A MAIORIA DOS INTERNAUTAS ACREDITAM NA ADMINISTRAÇÃO DO PREFEITO “MANO ONOFRE”







O BLOG REALIZOU UMA PEQUENA ENQUETE NESSE MÊS DE JANEIRO PARA SABER COMO A POPULAÇÃO DE UMARIZAL EM ESPECIAL OS QUE USAM A INTERNET PARA AVALIAR O PRIMEIRO MÊS DE ADMINISTRAÇÃO DO NOVO PREFEITO ELEITO DE UMARIZAL.

(50%) DERAM NOTA DEZ (10) PELO NOVO SISTEMA DE GOVERNO QUE O ATUAL PREFEITO ESTÁ ADOTANDO.

(10%) DERAM NOTA (0,0) DIZENDO ASSIM QUE NÃO ACREDITA NA NOVA ADMINISTRAÇÃO.


(6%) DERAM NOTA (09) DIZENDO QUE TAMBÉM ACREDITAM NO PREFEITO MANO.


ENQUETE REALIZADA ENTRE OS DIAS 28 E 31 DE JANEIRO.

BLOG – CLEUMY CANDIDO FONSECA


Receita aponta que Igrejas do Rio Grande do Norte são as que mais faturam no País

A arrecadação das igrejas dos Estados do Nordeste cresceu quase o triplo da média nacional de 2006 e 2011. E o impulso desse avanço é atribuído principalmente ao Rio Grande do Norte, que, sozinho, viu o faturamento de seus templos saltarem 130,2% no período.
O crescimento da arrecadação em território potiguar, embora pouco representativa no total em âmbito nacional, foi a maior do país no período.
Os dados foram divulgados na edição de domingo, 27, do jornal Folha de S. Paulo, com informações da Receita Federal por meio da Lei de Acesso à Informação.
Na região nordestina, o volume arrecadado nos templos religiosos de todas as denominações aumentou 35,3% - foi de R$ 1,45 bilhão para quase R$ 2 bilhões.
Pouco, se comparado aos R$ 20,612 bilhões de faturamento registrado em todo o país. O avanço brasileiro, porém, foi bem mais modesto: 11,6% - em 2006, o volume financeiro dos templos era de R$ 18,42 bilhões.
Nos cinco anos analisados, a Paraíba também registrou aumento significativo, de 60,3% - alto, mas, mesmo assim, menos da metade do RN.
Mas é o Sudeste, principalmente o Estado de São Paulo, que detém, de longe, as maiores arrecadações. Os quatro Estados da região concentram R$ 13,97 bilhões, dos R$ 20,61 declarados a Receita em 2011 (67,78% do total).
E metade do montante nacional pertence ao Estado paulista, onde os templos arrecadaram R$ 10,2 bilhões. Seguem-se a ele Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Paraná.
Depois do Nordeste, a região onde as igrejas registraram maior crescimento foi a Centro-Oeste, 32,89% - foi de R$ 1 bilhão para R$ 1,3 bilhão.
A região Sul foi a única que registro queda entre 2006 e 2011, de 18,8%.

fonte: jornal de fato

Leonardo Rego nega ter recebido convite da governadora Rosalba Ciarlini para assumir a Secretaria Estadual de Saúde

Deu no O Mossoroense... Ex-prefeito de Pau dos Ferros, Leonardo Rego (DEM) negou ter recebido convite da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) para assumir a Secretaria Estadual de Saúde. Leonardo disse que esteve na manhã de ontem reunido com o secretário chefe do Gabinete Civil, Carlos Augusto Rosado, mas não houve qualquer convite para ele integrar o governo. "Isso (convite) só existe no âmbito da especulação", frisou.
 
Hoje, Leonardo Rego acompanha a governadora em visita a Pau dos Ferros. "Estou em Natal, mas amanhã (hoje) estarei em Pau dos Ferros para acompanhar a visita de Rosalba a adutora do Alto Oeste e à BR-226", destacou.O ex-prefeito Leonardo Rego é filho do líder do governo na Assembleia Legislativa, Getúlio Rego. Ele é cotado para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. Também poderia ser o nome do DEM para o Senado, dependendo do cenário político. A ida de Leonardo para o primeiro escalão de Rosalba seria uma forma de aplacar os ânimos. É que o PMDB deseja indicar o arqui-inimigo político do ex-prefeito Elias Fernandes para a Secretaria Estadual de Recursos Hídricos e Meio Ambiente.
 
fonte: marcos dantas

Senado elege novo presidente nesta sexta

Renan Calheiros, do PMDB, e Pedro Taques, do PDT, são os candidatos.
Votação será secreta e por maioria simples no plenário do Senado.

 

O Senado elege na manhã desta sexta-feira (1), em votação secreta, quem comandará a Casa pelos próximos dois anos, até o fim do mandato da presidente Dilma Rousseff. Concorrem ao posto os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Pedro Taques (PDT-MT).
O escolhido vai substituir José Sarney (PMDB-AP) na presidência do Senado, acumulará a presidência do Congresso, e se tornará o terceiro na linha de sucessão para presidente da República, atrás apenas do vice-presidente da República e do presidente da Câmara dos Deputados.
Caberá ao candidato eleito comandar sessões de votação, definir as pautas do plenário do Senado e do Congresso, além de convocar votações extraordinárias e dar posse aos senadores.  O presidente do Senado também preside a Mesa Diretora, que comanda as atividades da Casa, com orçamento de mais de R$ 3,5 bilhões e mais de 6,4 mil funcionários.
Uma das primeiras tarefas do novo presidente do Congresso será resolver o impasse em torno da votação dos mais de 3 mil vetos presidenciais pendentes na pauta. No ano passado, em meio à pressão de parlamentares para derrubar o veto presidencial à Lei dos Royalties, o ministro Luiz Fux, do STF, determinou a votação cronológica dos mais de 3 mil vetos anteriores.
Além dos royalties do petróleo, estão na fila vetos ao projeto do novo Código Florestal, à lei que regulamenta os gastos em saúde e o que impediu o fim do fator previdenciário.
Outra tarefa do novo presidente de Senado e Congresso será comandar a votação do Orçamento de 2013, que prevê as receitas e despesas dos três poderes para o ano. A votação, que deveria ter ocorrido no ano passado, está prevista para ocorrer na próxima semana, quando termina o recesso legislativo.

Regras
A eleição desta sexta será por maioria simples, com a participação de, no mínimo, 41 senadores. Vencerá o candidato com mais votos, sem segundo turno; os votos serão feitos em cédulas de papel.
A sessão será presidida por José Sarney e, pelo regimento interno, todos os senadores poderão se inscrever para falar . Eles devem se limitar a discursar sobre a eleição do novo presidente. Após a eleição, o novo presidente convocará outra sessão, para a escolha dos demais integrantes da Mesa Diretora do Senado- 1º vice-presidente, 2º-vice-presidente e quatro secretários.
Os vice-presidentes devem substituir o presidente em todas as atribuições quando ele estiver ausente, inclusive no comando das sessões. O 1º secretário é responsável pela correspondência oficial recebida pelo Senado, os pareceres das comissões, as proposições apresentadas quando os seus autores não as tiverem lido. Também assina as atas das sessões secretas.
Ao segundo-secretário compete lavrar as atas das sessões secretas, fazer a leitura delas e assiná-las depois do primeiro-secretário. Ao terceiro e quarto-secretários cabe contar votos em verificação de votação e auxiliar o presidente do Senado  na apuração das eleições.
Além das funções inerentes a cada cargo, os integrantes da Mesa Diretora deliberam sobre matéria administrativa, projetos de aumentos salariais e planos de carreira de funcionários.
 
Renan
Candidato do PMDB, maior bancada do Senado, Renan Calherios (PMDB-AL), disputa a presidência da Casa uma semana depois de ser denunciado pela Procuradoria-Geral da República.
Ele é investigado em inquérito no STF pelo suposto uso de notas fiscais frias para justificar, em 2007, que tinha renda para pagar a pensão de uma filha. O peemedebista apresentou as notas, referentes a suposta venda de bois, para se defender da suspeita de que a pensão era paga por um lobista de uma empreiteira. O escândalo levou à renúncia de Renan comando do Senado em 2007.
A denúncia enfraqueceu a candidatura do peemedebista, que perdeu apoio do PSDB e do PSB, este aliado do governo federal.  Apesar disso, ele continua como favorito ao cargo já que conta com votos do PT, da maioria dos partidos da base aliada e dos peemedebistas, com exceção os que integram o chamado grupo de senadores "independentes", que não seguem as orientações partidárias. A avaliação do PMDB é de que Renan será eleito com mais de 55 votos.
Formado em direito pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Renan foi eleito deputado federal em 1982 pelo PMDB. Em 1994, assumiu o primeiro mandato como senador. Em 1998, no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1955-2002), foi escolhido para comandar o Ministério da Justiça, cargo que ocupou até 1999.
Reeleito senador em 2002, Renan Calheiros e o PMDB decidiram apoiar o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010). Em 2005 foi eleito presidente do Senado e do Congresso Nacional, cargo que deixou em 2007, acuado por processos que poderiam custar seu mandato.
O mesmo escândalo que derrubou Renan Calheiros voltou aos jornais com a denúncia do procurador-geral, Roberto Gurgel. Indagado nesta quinta sobre a perda de apoio no Congresso devido à medida de Gurgel, Renan afirmou: "Essas coisas estão sendo construídas. Isso é um processo. É preciso ter muita paciência e aguardar o que vai acontecer."
Questionado por jornalistas se teria condições de assumir o cargo diante da possibilidade de ser réu em um processo criminal, o peemedebista foi sucinto: "Imagina."