13 de dez de 2011

Carlos Eduardo: ingratidão e vaidade provocam derrota


O ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, lidera as pesquisas de opinião pública realizadas até o momento para voltar a administrar a prefeitura de Natal, mas pode ser atropelado pelos fatos e circunstâncias que devem redesenhar o quadro sucessório na capital potiguar.

Filho de Agnelo Alves, Carlos Eduardo não herdou a sabedoria política e o instinto estratégico do pai, que foi prefeito de Natal e de Parnamirim, senador da República e hoje exerce mandato de deputado Estadual. A vaidade é marca registrada de Carlos Eduardo, que tenta desvincular seu nome da família que foi responsável por sua carreira política.

Eleito vice-prefeito na chapa de Wilma de Faria, indicado pelo PMDB, Carlos Eduardo rompeu com a família e com o partido e assinou ficha de filiação no PSB, comandado por Wilma no RN. Com a renúncia de Wilma para concorrer ao governo do Estado em 2002, Carlos Eduardo assumiu a prefeitura de Natal. Suas primeiras providências foram se livrar do wilmismo e montar um secretariado ‘técnico’.

Wilma foi eleita governadora e apoiou sua reeleição para prefeito de Natal, em acirrada disputa contra o então deputado Luiz Almir, líder popular que multiplicou sua atuação nos meios de comunicação. Em curva ascendente, Luiz Almir ganharia a eleição na reta final da campanha. Wilma reuniu seu exército vermelho e virou o jogo, provocando a vitória de Carlos Eduardo.

Em 2008, ao invés de apoiar um candidato do PSB de Wilma, Carlos Eduardo resolveu ser liderança, e engendrou uma fórmula para evitar que os políticos tradicionais tivessem êxito numa possível vitória de seu sucessor.

Fomentou uma candidatura ‘técnica’ que não vingou. Depois, contrariando a todos, articulou o que ficou conhecido como ‘Acordão’, que envolveu o PSB de Wilma, o PMDB de Henrique Alves e Garibaldi Filho e o PT da deputada Fátima Bezerra, que atropelou até as prévias internas do partido e foi lançada candidata do grupo à prefeitura de Natal.

A candidatura de Fátima foi prejudicada pela forma elitista como foi gerada, nos gabinetes de Brasília, sem sentir a ‘pulsação’ do eleitorado. Resultado: derrota no primeiro turno para Micarla de Sousa.

Em 2010, ao invés de Carlos Eduardo apoiar a candidatura de Wilma ao senado; ou a de Garibaldi Filho, resolveu ser candidato a governador, numa aventura que nasceu com forte cheiro de derrota e se concretizou nas urnas, com uma votação insignificante até em Natal, cidade que ele governou por dois mandatos. Naquele momento, ele já havia deixado de lado o PSB e assumiu o PDT para não ser liderado de ninguém no Estado, mas líder; nem que fosse dele mesmo.

Após a eleição estadual, Carlos Eduardo teve uma grande oportunidade de retomar o seio familiar e ser candidato a prefeito em 2012 pelo partido que o colocou na vida pública: o PMDB.

Convidado pelos primos Garibaldi e Henrique Alves a assinar ficha de filiação no PMDB e ser o candidato a prefeito do partido e até do grupo da governadora Rosalba Ciarlini, Carlos Eduardo negou o convite e permaneceu no PDT, isolado, sem lideranças expressivas, mas na condição de ‘líder’ de um exército sem soldados ou oficiais, apenas com um pseudo general com armas obsoletas.

A negativa de não se filiar no PMDB tem um componente a mais no cardápio da ingratidão. Afinal, no sombrio fim de sua gestão na prefeitura de Natal, com sua candidata derrotada em primeiro turno, ele cometeu uma ilegalidade que poderia ter custado o fim de sua carreira política: meteu a mão no dinheiro da Previdência dos Servidores para cobrir rombos financeiros da gestão; e ‘vendeu’ a conta da prefeitura para o Banco do Brasil numa operação obscura mas com objetivo definido: conseguir mais dinheiro para fechar a conta, sob pena de responsabilidade grave com consequências para o futuro.

Carlos Eduardo estava desesperado; o pai, Agnelo, queria salvar o filho daquela situação. Eis que, aos 45 do segundo tempo, chega a mão salvadora do deputado Henrique Alves, que usa sua influência no Supremo Tribunal Federal e consegue, no apagar das luzes de 2008, uma liminar que permitia sacar o dinheiro da venda da conta do Banco do Brasil para que ele pudesse honrar o pagamento do funcionalismo e cobrir o saque indevido que havia feito na Previdência Municipal.

Henrique Alves foi solidário ao primo, com quem não alimenta boa relação. Se Henrique não tivesse ajudado, Carlos Eduardo teria enfrentado sérios problemas com a Justiça e poderia ter sido contaminado pela Ficha Suja e ficar fora do pleito.

O que Henrique pediu foi muito pouco para o que foi feito pelo PMDB durante toda a vida política de Carlos Eduardo: a simples filiação. Com um bônus: ganhava o direito de ser o candidato do partido a prefeito de Natal.

Mas Carlos Eduardo é ingrato com quem o ajuda; seja família ou não. E a vaidade de ser ‘líder’ pode ter destruído o sonho de ser prefeito de Natal pela terceira vez.

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 16:15

Deputados cobram envio do Projeto de Lei do subsídio dos PMs


Policiais Militares e Bombeiros compareceram hoje à Assembleia Legislativa para cobrar a apreciação dos parlamentares o projeto de lei que cria o subsídio salarial para categoria, além de outros benefícios.

Porém, de acordo com o deputado Fernando Mineiro (PT) essa mensagem ainda não chegou à casa legislativa. "Até agora eu não sei se chegou a esta casa o projeto de lei que institui o subsidio aos PMs e aos bombeiros. Esse projeto foi acordado com o governo mas o governo não cumprIU. Aqui na assembléia o apoio é unânime. Nós queremos votar a matéria, mas ela tem que chegar aqui”, comentou.

E complementou: “Essa é uma questão de segurança do estado. O secretário disse que está rezando para que haja contratação. Mas é preciso deixar a reza para o terreno da espiritualidade, isso é uma questão de Diário Oficial”.

Em aparte, Márcia Maia comentou que a aprovação do projeto é importante, sobretudo, aos cidadãos, que estão sofrendo com a escalada da violência no Rio Grande do Norte. “Há um desacordo entre o secretário chefe da Casa Civil e o secretário de segurança pública”, reforçou.

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 16:11

Pinheiro afirma que único empecilho para união da oposição e para sua candidatura é Flaviano


No último domingo, 11 quando fazia uso da palavra no evento do PR, na comunidade dos Grossos da Região da Pedra, Pinheiro foi interrompido ao menos três vezes por pessoas que perguntaram sobre a união da oposição e se ele seria realmente candidato em 2012.


Pinheiro por reiteradas vezes afirmou que tem tentado a união da oposição já com boas conversas que aconteceram esse ano, e que o único empecilho para que isso não aconteça, ou seja, essa união e nem sua candidatura é o nome de Flaviano.


“Estou a disposição do povo para ser candidato novamente se assim ele e a oposição unida entender, pois minha intenção é ser novamente candidato a prefeito de Apodi” afirmou Dr. Pinheiro.

fonte: joseniasfreitas.blogspot.com/

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 09:42

PREFEITO ADEMAR FERREIRA AFIRMA DISPOSIÇÃO DE BUSCAR REELEIÇÃO EM 2012


Prefeito Ademar Ferreira (PMDB), fala sobre sucessão municipal em 2012.

No último sábado (10), o prefeito Ademar Ferreira, de Caraúbas, realizou uma reunião com alguns de seus auxiliares. Na ocasião o gestor municipal esclareceu três pontos relacionados à eleição municipal de 2012.

Primeiramente o prefeito afirmou que é pré-candidato a reeleição em 2012 com o apoio de todo o grupo político, inclusive do empresário Junior Praxedes, parceiro do seu governo e que contribuiu consideravelmente com sua eleição em 2008.

O segundo ponto esclarecido por Ademar Ferreira é que não existe ninguém autorizado a falar por ele quando o assunto é às eleições municipais de 2012. O terceiro ponto, igualmente importante, é que é que o prefeito Ademar Ferreira afirmou que por enquanto não vai falar sobre o processo sucessório de Caraúbas em 2012. “Agora é momento de trabalhar, na hora certa discutiremos sobre política”, disse.

Por LEYSSON CARLOS

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 08:33

ELEIÇOÊS 2012 EM UMARIZAL


FALTA APENAS 03 DIAS OU 72 HORAS PARA O PREFEITO DE UMARIZAL ROGERIO FONSECA REVELAR PRA TODA A POPULAÇÃO A NOSSA CIDADE QUEM SERÁ O SEU POSSIVÉL CANDIDATO A PREFEITO APOIADO POR ELE E SEU GRUPO POLITICO.

DO BLOG - SE O PREFEITO LER ESSA MATERIA PEÇO QUE LIGUE PRA ESSE BLOGUEIRO FONE : 9959-3160

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 08:21

Governo Rosalba Ciarlini termina 2011 sem definir um calendário de pagamento para o funcionalismo

O Governo do Estado confirma para a próxima sexta-feira(16) o pagamento da segunda parcela do 13º salário para os servidores públicos do Estado.

Já o pagamento dos salários referentes ao mês dezembro será efetuado nos dias 29 e 30 de dezembro.

A folha de pagamento de dezembro será da ordem de R$ 310,3 milhões. Já a segunda parcela do 13º salário somará R$ 183,6 milhões.

O detalhe é que o Governo Rosalba Ciarlini termina o ano sem definir um calendário de pagamento para o funcionalismo público estadual.

É bem verdade que os salários foram pagos em dia, mas sem um calendário de pagamento.

É de se esperar que em 2012 Rosalba defina uma calendário de desembolso para deixar mais tranquilos os servidores do estado.

FONTE: OLIVEIRA WANDERLEY

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 07:37

Garibaldi visita ex-presidente Lula no Sírio-Libanês

O ministro da Previdência Social Garibaldi Filho visitou hoje o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Pelo twitter, o ministro comentou que achou o ex-presidente muito disposto e que demonstrou bastante otimisto em sua recuperação.

De acordo com os médicos que acompanham o ex-presidente, seu tumor na laringe regrediu 75% graças à quimioterapia a que ele está se submetendo há quase dois meses. "Desejo uma breve recuperação ao ex-presidente, que hoje, estava acompanhado da ex-primeira dama, Marisa Letícia", disse Garibaldi Filho pelo twitter.

Após bateria de exames feita hoje, a equipe médica do ex-presidente decidiu adiar para amanhã o início da terceira fase da quimioterapia contra o câncer na laringe, de acordo com o médico Roberto Kalil.

O ministro Garibaldi visitou também o seu pai, o senador licenciado Garibaldi Alves, que segue em recuperação no mesmo hospital.

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 07:36