23 de jul de 2013

RN devolve R$ 2 milhões destinados à segurança

O Governo do Rio Grande do Norte devolverá ao Ministério da Justiça R$ 2 milhões, dinheiro que havia sido liberado para convênios, mas já teve o prazo de execução expirado. No total, se enquadram nessa situação cinco convênios relacionados a projetos de polícia de bairro, reaparelhamento das Polícias Militar e Civil e ainda modernização dos processos de investigação. Os convênios foram firmados entre os anos de 2008 e 2010 e tinham como prazo de conclusão das atividades o ano de 2012. Os recursos são referentes a parcerias firmadas pelas gestões de Wilma de Faria e Iberê Ferreira com a Secretaria Nacional de Justiça. No total, R$ 2.028.849,89 devolvidos ao Governo Federal.

Aldair Rocha explica devoluções e cita complicações provenientes da lei das licitações
 Há casos de quase R$ 900 mil sendo devolvidos, dinheiro que, originalmente, seria destinado à construção de duas delegacias modelo e reforma e ampliação de outras 24 delegacias. Entre os convênios também estão recursos destinados ao reaparelhamento de todos os órgãos da Secretaria de Segurança.

O secretário estadual de Segurança e Defesa Social admitiu que parte dos recursos devolvidos são provenientes de metas não cumpridas, embora os programas tenham sido iniciados. Segundo ele, os entraves surgem até mesmo na contrapartida do Governo. “O Estado hoje tem dificuldade com fornecedores, tem empresas que não querem vender para o poder público”, disse Aldair Rocha, ressaltando que essa é uma situação comum a todo Brasil.

Lembrando do convênio 510/08, que previa construção de duas delegacias modelos e reforma de outras 24, o secretário afirmou que o Governo Federal já não transfere mais recursos para construção e reforma devido ao problema de legalização dos terrenos e na demora das obras. “O Governo Federal não faz mais esse tipo de repasse porque sabe das dificuldades (na execução). Hoje os recursos aplicados para esse fim vêm do próprio Estado”, destacou, ressaltando que a lei das licitações  é “muito complicada” e o Estado não tem técnico preparado para atender todas as exigências.

PREFEITO DO PARANÁ VENDE SEU CARRO DE LUXO PARA COMPRAR UMA AMBULÂNCIA.





O PREFEITO DE PINHÃO O SR. DIRCEU DE OLIVEIRA USOU DE UM BOM SENSO E FEZ UMA COISA JÁ MAIS VISTA NOS ÚLTIMOS ANOS EM TODO O BRASIL.
O PREFEITO ABRIU MÃO DE SEU CARRO DE LUXO E VENDEU PARA COMPRAR UMA AMBULÂNCIA PARA A CIDADE QUE ELE ADMINISTRA.

AQUI NA CIDADE DE UMARIZAL BEM QUE O PREFEITO “MANO” PODERIA SE DESFAZER DE VÁRIOS TRANSPORTES ANTIGOS E QUE ESTÃO COMPLETAMENTE SUCATEADOS, E QUE O DINHEIRO ARRECADADO PODERIA SERVI PARA ADQUIRIR UMA AMBULÂNCIA PARA NOSSA CIDADE, JÁ QUE EM UMARIZAL NÃO SE TEM SE QUER UMA AMBULÂNCIA PARA TRANSPORTAR OS PACIENTES.


FONTE: http://nossoparanarn.blogspot.com.br/2013/07/prefeito-do-parana-vende-seu-carro-de.html/ ADAPTADO

Ação do MPF resulta em suspensão dos direitos políticos do deputado "Tomba" Farias.



Uma ação civil pública do Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) apontou fraude em uma licitação para construção de 25 casas populares, no município de Tangará, e resultou na condenação, pela Justiça Federal, do deputado estadual, Luiz Antônio Lourenço de Farias (Tomba); do ex-prefeito de Tangará, Giovannu César Pinheiro; e de mais sete pessoas e quatro empresas. 

Todos receberam como pena cinco anos de suspensão dos direitos políticos e terão de dividir o pagamento de uma multa equivalente a cem vezes o valor corrigido da última remuneração do então prefeito. Os réus já recorreram.

De acordo com o entendimento da Justiça Federal, o esquema foi gerenciado pelo ex-prefeito e pelo representante do escritório de contabilidade Rabelo e Dantas, Creso Venâncio, e teve a participação dos demais réus, que emprestaram seus nomes para "maquiar a fraude".

Após o trânsito em julgado, todos poderão ficar três anos sem poder contratar com o poder público.

A ação civil pública tramita na Justiça Federal sob o número 0010967-36.2009.4.05.8400

ROBINSON DIZ QUE GESTÃO DE ROSALBA CONTAMINA O GOVERNO

Por: Alex Viana – Jornal de Hoje
Vice-governador, presidente do PSD e pré-candidato a governador nas eleições de 2014, Robinson Faria avalia que a má gestão da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) contamina praticamente toda a administração Estadual. A crítica do líder oposicionista se deve à devolução dos recursos, da ordem de R$ 2 milhões oriundos de convênios do Estado com o Ministério da Justiça, esta semana.
“A devolução desses recursos demonstra o que vem se evidenciando desde o início do governo Rosalba Ciarlini: que há uma total falta de planejamento no Estado”, afirmou o vice-governador. “Outro dia o governo perdeu dinheiro para a área de saúde, agora perde recursos que seriam para uma área crítica, que está apresentando péssimos resultados, que é a segurança pública”.