2 de jun de 2016

Por que tantos políticos dizem que está difícil administrar uma cidade em uma crise dessas que estamos passando. ?????? Mas, ao mesmo tempo todos querem ser prefeitos, vereadores e ETC ... será por que ?????

Por que tantos políticos dizem que está difícil administrar uma cidade em uma crise dessas que estamos passando. ?????? Mas, ao mesmo tempo todos querem ser prefeitos, vereadores e ETC ... será por que ?????

Reajuste a servidores terá impacto de R$ 58 bilhões até 2019

O Brasil está, já afirmei aqui, com três polos de poder: há o governo propriamente, liderado por Michel Temer; há o núcleo petista, de que Dilma Rousseff é símbolo, e há a Lava-Jato, com poder para mandar qualquer um para a guilhotina. Os critérios para organizar a fila nem sempre são muito claros. Dependem muito de uma leitura insondável que o Conselho de Robespierres faz da realidade.
As dificuldades são gigantescas. E a chance de o governo oficial fazer besteira, para evitar um mal ainda maior, cresce brutalmente. Vejam o que aconteceu na noite desta quarta e início da madrugada de quinta: com o aval do governo Temer, a Câmara aprovou um pacote de medidas com reajustes para o funcionalismo — 15 projetos de lei ao todo — que terão um impacto de R$ 58 bilhões aos cofres públicos até 2019.

Denúncias “mortais” contra Lula

O Globo confirmou que as denúncias de Léo Pinheiro contra Lula são “mortais”.

Releia o que foi publicado antes:

Léo Pinheiro, da OAS, negocia um acordo com a Lava Jato.
Além de esclarecer o pagamento de propina para a campanha de Dilma Rousseff, em 2014, ele está disposto a falar das palestras superfaturadas de Lula – e de como elas resultaram em empréstimos do BNDES para obras da empreiteira no Brasil e no exterior.

O tráfico de influência de Lula no BNDES é um escândalo tão grande quanto o da Petrobras.

E está pronto para explodir.

Temer quer tratar com Robinson um tema delicado

O governador Robinson Faria, que se encontra licenciado, retornará ao cargo no início da próxima semana e logo viajará à Brasília, em data a ser definida.

É que o presidente Michel Temer quer reunir os 27 governadores na semana, que vem para tratar da renegociação das dívidas estaduais.


Um tema muito delicado!!!!