1 de jul de 2016

Deputado Getúlio Rêgo propõe que laboratórios de análises clínicas informem taxa de filtração glomerular para ajudar a prevenir doenças renais.


Alertando para o grave problema da doença renal crônica (DRC) que vem mobilizando especialistas em todo o mundo, o deputado estadual Getúlio Rêgo (DEM) apresentou um projeto de lei propondo a obrigatoriedade de informação da Taxa de Filtração Glomerular pelos laboratórios de análises clínicas no RN. 

O parlamentar destacou em pronunciamento durante a sessão plenária desta quinta-feira (30) que a medida não irá acarretar em custos e a informação é importante para prevenir a doença renal crônica.

"Esse é um assunto de muita importância, porque o avanço da doença renal crônica tem preocupado e muito não só os portadores da doença, mas os nefrologistas. Queremos com esta lei oferecer um instrumento facilitador de reconhecimento da doença pelos especialistas, permitindo o diagnóstico precoce e a intervenção a fim de evitar que a doença avance para outros estágios", afirmou o deputado.

A não informação acarretará em penalidades a serem aplicadas pela Vigilância Sanitária, quando o projeto for aprovado e estiver em vigor. Primeiro será feita uma advertência aos laboratórios e em caso de reincidência aplicação de multa no valor de R$ 500,00. 

"Essa nova informação por parte dos laboratórios não terá custo financeiro, basta apenas baixar um aplicativo, que está no próprio projeto de lei", destacou o deputado Getúlio.

Leonardo Rêgo apresenta certidões que atestam regularidade de sua condição eleitoral e desafia adversários a contestar informações.


O pré-candidato da oposição à Prefeitura de Pau dos Ferros, ex-prefeito Leonardo Nunes Rêgo (DEM), foi à Rádio AM Cultura do Oeste, nesta quarta-feira (29), proferir seu último pronunciamento à população pau-ferrense antes do término do prazo estabelecido pela justiça eleitoral.

Durante a entrevista conduzida pelo radialista Barbosa Freitas, Leonargo Rêgo tratou de assuntos inerentes à realidade administrativa do município, como também, aproveitou o espaço cedido para se defender das acusações grosseiras que seus adversários propagaram recentemente.

Mas, o momento mais polêmico da entrevista que resolvemos destacar foi quando o ex-prefeito Leonardo desabafou sobre a intensa perseguição que vem sofrendo por parte dos seus rivais políticos desde que chegou a Pau dos Ferros, inclusive relembrando que as mesmas baixarias e vulgaridades que foram utilizadas contra ele nas eleições de 2004, quando derrotou a ex-vice-prefeita Maria Rêgo (mãe do atual prefeito), estão sendo repetidas atualmente, numa clara demonstração que a "velha política" está ameaçando retornar com força total à realidade do município.

"A campanha desse ano para essas pessoas está sendo encarada como de 'vida ou morte'. Eles sabem que a oportunidade de continuarem maltratando Pau dos Ferros é essa, porque na hora que voltar uma gestão decente o povo abraça a causa, porque a cidade crescendo todo mundo ganha. Não se pode falar em candidatura, mas eu digo que tudo isso aí vai ter um contraponto. O nosso partido fará a convenção no final de julho cumprindo todas as normas da justiça eleitoral, e eu queria dizer uma coisa a todos vocês: eu já estou com todas as certidões exigidas pela justiça eleitoral e hoje eu afirmo que Leonardo Rêgo é pré-candidato a Prefeito de Pau dos Ferros!", enfatizou.

Indo mais além, demonstrando que não está para brincadeiras, Leonardo Rêgo desafiou publicamente os seus adversários políticos e midiáticos para que apresentassem contestações plausíveis às informações disponíveis nas certidões por ele protocoladas.

"A estratégia que está montada aí é a seguinte: mesmo sem ter fundamento, eles vão pedir a impugnação de minha candidatura aleatoriamente só para provocarem tumulto e gerar insegurança na população. Mas, eu já disse e repito: a nossa coligação não ingressará com pedido de impugnação da candidatura do atual prefeito, pelo contrário, seja candidato para que o povo julgue a desgraça de sua gestão nas urnas. Agora, aos cantadores de galo, prestem atenção: eu não estou mandando ninguém fazer isso, mas os que gostam de cantar de galo me procurem, eu estou aqui todo dia em Pau dos Ferros. Me procurem para fazermos uma apostinha. Venham direto, não procurem ninguém não, venham a mim, Leonardo Rêgo, com dinheiro legal, economia em banco, declarado no imposto de renda e tudo dentro da regularidade. Vão cantar isso até o dia 2 de outubro, às 5 horas da tarde, pois, esse é um discurso que nunca deixaram de lado e só cessa quando perdem a eleição. Então, não fiquem cantando de galo nas esquinas, nos bares, me procurem diretamente. Mas isso é conversa de gente que não tem perspectiva de êxito eleitoral", desafiou Leonardo Rêgo. 

Cunha renunciará para driblar o plenário do STF, diz colunista

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) vai renunciar à presidência da Câmara porque sua estratégia é escapar de julgamento no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), onde já se considera condenado. Sessões do plenário são transmitidas pela TV e Cunha avalia que ministros podem ser pressionados pelo “clamor das ruas”. Como deputado comum, seu caso vai para a 2ª Turma, onde sessões não são transmitidas pela TV.
Cláudio Humberto

Lava Jato faz operação e mira Friboi e doleiro ligado a Cunha

G1 – A Polícia Federal deflagrou uma operação na manhã desta sexta-feira (1º) como parte da Lava Jato. Um dos alvos é o  doleiro Lucio Funaro, ligado a Eduardo Cunha. A polícia deve cumprir mandado de prisão contra Funaro. Além disso, há mandados de busca e apreensão nas empresas do grupo JBS Friboi. Os mandados desta etapa da operação foram autorizados pelo ministro doSupremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, relator da Lava Jato na corte.
Também é alvo da operação o lobista Milton Lira. Segundo a Procuradoria-Geral da República, o nome de Lira apareceu em um documento, escrito a mão, encontrado na casa de Diogo Ferreira, ex-chefe de gabinete do ex-senador Delcídio do Amaral. Segundo a PGR, no documento havia indicação de que Lira atuou pelo banco BTG junto a deputados peemedebistas, entre eles Cunha, para que favorecessem a empresa.

Policiais saíram às ruas para cumprir mandados em três estados e no Distrito Federal. Há operação em São Paulo e Pernambuco. A ação desta manhã se baseia nas informações da delação premiada de Fábio Cleto, ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa Econômica Federal. Cleto também é aliado de Cunha.