7 de jul de 2011

DEPUTADO HENRIQUE ALVES


O deputado Henrique Eduardo Alves, líder do PMDB na Câmara Federal, vai no próximo sábado dia 09 fazer um roteiro político em diversos municípios da região oeste potiguar. Entre a cidades estão Upanema, Campo Grande, Apodi, Itaú, Riacho da Cruz e Portalegre.

No domingo dia 10, o Presidente Estadual do PMDB, sairá de Portalegre para Pau dos Ferros, e em seguida virá a Umarizal onde na ocasião Henrique estará realizando visitas para mobilizar seus militantes em um evento denominado de "Vôo do Bacurau". De Umarizal o deputado segue para Olho D’Água do Borges e Triunfo Potiguar.

Para conseguir ganhar mais tempo e percorrer uma maior quantidade de cidades, o deputado conseguiu que o empresário caraubense Ademos Ferreira emprestasse sua aeronave para facilitar seu deslocamento.

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 11:34

SAÚDE

UMARIZAL VAI GANHAR MAIS UM CENTRO " POSTO DE SÚADE " O PREFEITO ROGERIO FONSECA QUE VENHE TENTANDO DESENPENHAR UM PAPEL MELHOR NA SAÚDE DE UMARIZAL.

DESSA VÉZ FOI A COMUNIDADE DO BAIRRO SÃO JOSÉ " RUA NOVA " QUE VAI BENEFICIAR NÃO SÓ AQUELE BAIRRO, MAS TANBÉM OS DEMAIS BAIRROS QUE FICAM PERTO DAQUELA COMUNIDADE.

BREVE VOLTO COM MAIS INFORMAÇÔES SOBRE ESSA OBRA DE TANTA IMPORTANCIA PARA A SAÚDE DO NOSSO MUNICIPIO.

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 11:15

Os meninos de ouro de Lula e Alfredo


Imaginem aonde chegariam Lulinha, filho de Lula e ex-monitor de zoo, e o filho do ex-ministro Alfredo Nascimento, ambos milionários, se tivessem recebido um empurrãozinho básico dos ilustres papais?

do blog - isso é uma verdadeira vergonha pra o nosso pais, tanto dinheiro e tanto politico corrupto, como é que uma empresa aumenta o seu patrimonio em 85.000% em cinco, anos isso é uma brincadeira.

postado por cleumy candido fonseca ás 10:54

Queda de Alfredo Nascimento afeta obras e planos do PR no Rio Grande do Norte


Mais importante do que conhecer o substituto de Alfredo Nascimento no Ministério dos Transportes, demitido ontem (6) pela presidenta Dilma Rousseff, é saber quais e quantas obras do DNIT - Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte - estão paralisadas no Rio Grande do Norte.

Eu entreguei a missão à repórter Marília Rocha, do portal Nominuto, e ela, diligente, encontrou cinco obras inacabadas. Pode haver mais.

Eis a lista da repórter: a duplicação da BR 101 ainda em fase de conclusão, o tão sonhado viaduto de acesso à avenida Maria Lacerda em Nova Parnamirim, adequações no trânsito da ponte de Igapó (obra da Copa 2014), duplicação da BR 226 no trecho que liga Natal a Macaíba e a duplicação da BR 406 entre a capital e Ceará-Mirim (obra ligada ao futuro aeroporto de São Gonçalo do Amarante).

Desde o ano passado, o DNIT no Rio Grande do Norte está sob suspeição por conta de denúncias de corrupção envolvendo ex-diretores do órgão.

Agora o caldo engrossa mais ainda com as acusações feitas a integrantes da cúpula do Ministério dos Transportes ocupado pelo Partido da República desde o Governo Lula.

A demissão de Alfredo Nascimento pode tirar do PR este naco suculento da administração federal, reduto do velho PMDB no passado.

PMDB e PT estão de olho na pasta, mas o PR defende o osso com unhas e dentes. Fala-se em Blairo Maggi, o Rei da Soja, senador e ex-governador de Mato Grosso, para substituir definitivamente Alfredo Nascimento.

Maggi é o segundo nome mais importante do PR e a presidenta Dilma Rousseff deverá nomeá-lo para manter o partido na base de apoio. É o mais provável e o que se comenta hoje em Brasília.

A faxina no Ministério dos Transportes atingiu em cheio o deputado federal João Maia, líder do PR no Rio Grande do Norte. Depois de passar o constrangimento de ver um sobrinho entre os arrolados nas denúncias do DNIT aqui no estado, João Maia perde o aliado Alfredo Nascimento na linha de frente do Ministério dos Transportes. E melhor do que dinheiro no banco é amigo na praça, diz o velho adágio popular.

A partir de agora, as estradas ou caminhos políticos que levam João Maia ao Governo Federal precisam de reparos urgentes tais como as obras do DNIT que estão paralisadas ou estão sendo tocadas lentamente no Rio Grande do Norte.

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 08:55

Para quem sonha com um projeto majoritário (governo ou Senado), como parece ser o caso de João Maia, as últimas notícias não são nada boas.

Governo reafirma crise, mas sinaliza execução dos planos


O governo do Estado reafirmou ontem, por intermédio de ofício entregue a uma comissão de deputados estaduais, que neste momento encontra-se impossibilitado de atender as reivindicações dos servidores grevistas por causa da "grave situação" fiscal do RN, mas pela primeira vez se comprometeu, oficialmente, em cumprir os planos de cargos e salários aprovados em 2010, embora não tenha definido prazo para implementação dos acordos. Por enquanto, há apenas uma sinalização de que os reajustes poderiam começar a ser discutidos e implementados em setembro.
DivulgaçãoPaulo de Tarso vai à Assembleia Legislativa entregar documento aos deputados sobre negociaçãoPaulo de Tarso vai à Assembleia Legislativa entregar documento aos deputados sobre negociação

O comunicado à Assembleia Legislativa foi assinado pelos secretários-chefe do Gabinete Civil, Paulo de Tarso Fernandes; e da Administração e Recursos Humanos, José Anselmo Carvalho. Eles estiveram ontem no gabinete do presidente da AL, Ricardo Motta. O ofício entregue pelos secretários lembra que "a despesa com pessoal do Poder Executivo ultrapassou o limite legal da Lei de Responsabilidade Fiscal".

Em contato com o secretário Paulo de Tarso, a reportagem o indagou acerca da tese de inconstitucionalidade dos planos - argumento defendido amplamente pelo governo como impeditivo para a aplicação dos projetos - e também sobre a necessidade de encaminhá-los novamente à Assembleia Legislativa para readequação. Ao responder, o chefe do Gabinete Civil, foi enfático: "O governo não trabalha com essa possibilidade, no momento. Essa questão ficou suspensa e adiada porque depende do que decidir o Tribunal de Justiça (TJ-RN)".

Ele fala dos dois processos onde figuram como partes o Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do RN (Sinpol) e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN (Sinte). Ambos tramitam no âmbito do TJ-RN e tratam da legalidade ou não das greves deflagradas. Os processos estão sob análise dos desembargadores Caio Alencar (Sinpol) e Virgílio Macêdo (Sinte). As Ações Cíveis requereram a imediata suspensão do movimento grevista e a imposição do imediato retorno ao trabalho de todos os policiais civis e educadores que a ela aderiram.

O governo pediu, também, que os Sindicatos se abstenham de "incitar os sindicalizados a agirem de forma contrária aos seus deveres funcionais, conclamando a todos os integrantes da categoria para que permaneçam em suas escalas normais de serviço, tendo em vista a ilegalidade e abusividade da greve".

Paulo de Tarso Fernandes confirmou que na conversa com os deputados sinalizou com a possibilidade de negociar a implementação dos planos de cargos e salários a partir de setembro, quando o governo estima que estará numa situação financeira mais confortável.

Mas a oposição na Assembleia Legislativa continua criticando a postura do governo. O deputado Fernando Mineiro (PT) postou em seu site pessoal que esta é a primeira vez, na história recente do legislativo potiguar, que a AL não consegue intermediar uma negociação entre servidores e governo. "E isto acontece por uma razão: o objetivo do governo Rosalba é derrotar o movimento dos servidores, desmobilizando-os para descumprir os Planos de Cargos", disse.


POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 08:49

Henrique Eduardo afirma que Hermano é a escolha natural

"Os entendimentos caminham para a escolha natural do deputado Hermano Moraes", disse Henrique Alves, presidente do diretório estadual do PMDB-RN, durante a reunião da Executiva Nacional do partido com os diretórios regionais e das capitais, em Brasília, ontem. Por sugestão do líder da bancada do PMDB na Câmara dos Deputados, a executiva transformou em determinação a recomendação de lançar candidatos próprios a prefeito em todas as capitais.
lindauro gomesExecutiva nacional do PMDB se reúne para discutir rumos da legenda na disputa eleitoral de 2012Executiva nacional do PMDB se reúne para discutir rumos da legenda na disputa eleitoral de 2012

O PMDB também vai priorizar candidaturas do partido para as cidades onde há possibilidade de segundo turno nas eleições de 2012 e nos municípios pólo das diferentes regiões.

Bancada unida

Na última reunião da bancada do PMDB, antes do recesso parlamentar, o deputado Henrique Alves fez um balanço positivo do trabalho realizando no 1º semestre do ano.

Com a saída de Mendes Ribeiro (PMDB-RS) para a liderança do governo no congresso, o novo 1º vice-líder da bancada do PMDB na Câmara dos Deputados será Marcelo Castro (PMDB-PI).

Ainda antes do recesso, a Câmara vota na próxima semana a Lei de Diretrizes Orçamentárias. Por iniciativa do partido, na LDO vai constar a obrigatoriedade da execução das emendas parlamentares individuais apresentadas pelos deputados, segundo o líder do PMDB, para evitar o constrangimento de restos a pagar nos orçamentos futuros.

O partido também discutiu o andamento da reforma política em tramitação na casa. O PMDB, que inicialmente defendia o voto distrital, está construindo uma proposta intermediária entre o voto distrital e a lista fechada. "Seria uma mistura entre a eleição majoritária e a lista fechada com financiamento público de campanha", disse Henrique Alves.

O líder do PMDB explicou que ainda não há acordo com os demais partidos que apóiam o sistema de lista fechada e o voto de legenda e financiamento de campanha exclusivo com dinheiro público.

Pela proposta que o PMDB vai defender, metade da bancada seria eleita em votação direta com financiamento privado de campanha e a outra metade, em lista fechada pelo voto de legenda com financiamento público. "Seria o voto distrital misto", defendeu Henrique Alves.

O partido também vai propor a coincidência das eleições gerais em 2018. Os próximos prefeitos seriam eleitos para mandatos únicos de seis anos.


POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 08:47

DNIT: sobrinho de deputado do PR exigia propina de 5%

PF apura atuação de Gledson Maia em desvios no órgão ligado à pasta dos Transportes no RN

Esquema envolvendo sobrinho de João Maia, que foi preso e afastado, teria movimentado R$ 2 milhões desde 2009

José Ernesto Credendio, Folha de S. Paulo

Inquérito da Polícia Federal revela que um sobrinho do deputado federal João Maia (PR-RN) recebia propina de 5% em cima dos valores pagos a uma empresa contratada pelo Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

Este é um dos 74 inquéritos abertos pela PF para investigar desvio de verbas no órgão, vinculado ao Ministério dos Transportes, comandado até ontem pelo PR. O sobrinho do deputado, Gledson Maia, ocupava o cargo de chefe de engenharia do Dnit no Rio Grande do Norte.

O suposto esquema foi desbaratado no fim de 2010 pela Operação Via Apia e envolveu ao menos mais uma empresa e um consórcio de empreiteiras. O pagamento da propina ocorria logo depois que os valores eram liberados pelo governo. Segundo a PF, foram desviados cerca de R$ 2 milhões.

Gledson Maia deixou o cargo no fim do ano passado, após ser preso pela PF. Foi flagrado ao lado de uma churrascaria com o sócio de uma das empresas contratadas pelo Dnit. Na ocasião, foram apreendidos R$ 50 mil que seriam propina.

postado por cleumy candido fonseca ás 08:32

Paulo Passos assume interinamente comando dos Transportes

O secretário-executivo do Ministério dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, vai assumir interinamente o Ministério dos Transportes no lugar de Alfredo Nascimento, que pediu demissão nesta quarta-feira (6) após denúncias de irregularidades no ministério. De acordo com o Planalto, a presidente Dilma Rousseff deve decidir "nos próximos dias" quem ocupará a pasta em definitivo. Passos ocupava o segundo cargo mais importante da pasta, a secretaria-executiva dos Transportes.

Como representante do Ministério dos Transportes, Passos se reuniu na tarde desta quarta com Dilma e o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, para tratar do andamento das obras da ferrovia Transnordestina e da transposição do Rio São Francisco.

No mesmo momento, a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, se encontrava com senadores do PR, partido de Passos e Alfredo Nascimento, para discutir nomes para pasta. A reunião acabou sem definição.

Em entrevista no Senado, o líder do PR, Magno Malta (ES), que esteve presente ao encontro, afirmou que o partido aguarda ser chamado pela presidente Dilma Rousseff para discutir nomes para a pasta.

"Nós, do partido, aguardaremos a presidente da República nos chamar para discutir a posição de um partido que é aliado do governo. Estamos à disposição com a mesma veemência e energia no sentido de que ela faça um grande governo", disse.

Passos foi secretário-executivo do Ministério dos Transportes também no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e assumiu a pasta no ano passado quando Alfredo Nascimento deixou o ministério para se candidatar ao governo do Amazonas. Ele tem 60 anos, nasceu em Muritiba (BA), é formado na Universidade Federal da Bahia e tem curso de planejamento pela Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (SP).

postado por cleumy candido fonseca ás 08:29