4 de abr de 2013

PONTO FINAL / VEREADOR PAULO MÁRCIO SERÁ SIM O PRESIDENTE DA CÂMARA NO BIÊNIO 2015/2016 “DIZ EX-VEREADOR”


Nada melhor de que escutar palavras de quem bem entende do assunto, em encontro hoje pela manha com ex-presidente da câmara chico de branca, perguntei ao mesmo se existia alguma possibilidade da eleição realizada pela câmara dia 26 de março ser anulada.

Chico me respondeu que respeita a posição do amigo vereador zé moura , mas que de fato a eleição foi um ato legal dentro do regimento orgânico da casa.

Chico de branca“ Cleumy, não vejo nenhuma possibilidade dessa eleição ser anulada, e o amigo vereador Paulo márcio será sim o presidente da câmara no biênio de 2015/2016., agora se tivesse sido convocada uma eleição extraordinária para essa votação antes do inicio do ano legislativo ai sim teria ferido gravemente o regimento, já que existe uma lei da casa que diz poderá ser convocada novas e qualquer eleições depois da primeira seção do inicio do ano legislativo, fato esse que não aconteceu.” Disse o ex – vereador chico de branca ao blog.  
 

Do blog- nada melhor de que as palavras de quem já foi vereador por dois mandatos e presidente da câmara por 04 anos.

FLAGRANTE: ambulância do município de Umarizal volta de Mossoró guinchada.

ambulancia de umarizal sendo guinchada de volta pra umarizal



Ainda dizem que eu critico de mais a área da saúde aqui do nosso município, mas esse flagrante registrado ontem a tarde entre as cidades de governador e Caraúbas me deixa muito indignado com o caos que enfrenta a saúde publica da nossa cidade.

Segundo uma fonte que eu tenho e que registrou o flagra, a ambulância teria saído de Umarizal em direção a cidade de Mossoró levando pacientes para ser atendidos, mas devido a única ambulância que ainda roda na cidade está completamente sucateada a mesma não conseguiu concluir a viagem.
Com isso foi acionado o veiculo Siena da prefeitura para que o mesmo pudesse concluir a viagem.
Ai fica a seguinte pergunta no ar , eu estou errado em divulgar esse absurdo , ou vamos fingir que nada disso aconteceu.
Eu queria que vocês leitores desse blog comentassem essa matéria deixando a sua opinião sobre esse caso.
  

SOBRE A PRESIDENCIA DA CAMARA TUDO PODE ACONTECER


Como ainda existe vários recursos para o vereador zé moura do (PSDB) tentar anular a eleição antecipada para nova mesa diretora da câmara que aconteceu no ultimo dia 26 de março.
Como todos nós sabemos que essa eleição só aconteceu decorrente de um acordo politico por parte dos partidos (DEM),(PSB)e(PSD), por que os mesmos temiam uma mudança após as eleições estaduais de 2014 que é natural isso acontecer.
Mas se imaginável acontecer e se for o caso de ter nova eleição apenas em 2014 que diz o regimento da casa.
Será que o presidente Washington Sales vai continuar com o mesmo discurso de sempre, todos sabemos e é inquestionável que ele é um homem de palavra, mas o seu compromisso com o (PSD) de Paulo márcio era pra 26 de março de 2013, e se for pra dezembro de 2014 e que pode acontecer.
Corre pelos corredores políticos de Umarizal e veredas partidárias de que tudo poderia mudar com uma nova eleição, alguns vereadores da base do governo poderia não mais votar em Paulo márcio justificando que seus compromissos eram pra o dia 26 de março e não para 2014.
Vai lá entender a politica de Umarizal, hoje um vereador está de um lado amanha pode esta do outro.
E no final de tudo é que o vereador Paulo márcio que tanto comemorou a sua vitória no ultimo dia 26 não poderá ser o presidente.
Agora em esperar pra ver, a minha opinião é que talvez teremos mesmo uma nova eleição essa é apenas a minha opinião.  

Candidatos que não votaram nas três últimas eleições também devem regularizar título






Falta cerca de um mês para o fim do prazo – 25 de abril – para que os eleitores que não votaram e não justificaram a ausência nas três últimas eleições compareçam ao cartório eleitoral e regularizem sua situação junto à Justiça Eleitoral. A medida também vale para aqueles que pretendem se candidatar às eleições gerais de 2014. Quem não o fizer terá o título eleitoral cancelado.

O eleitor que não regularizar a sua situação eleitoral sofre uma série de restrições, entre elas, não pode se candidatar a cargo eletivo. De acordo com a Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997), entre outros documentos, o pedido de registro de candidatura deve conter a certidão de quitação eleitoral.

A certidão de quitação eleitoral certifica a plenitude do gozo dos direitos políticos, o regular exercício do voto, o atendimento a convocações da Justiça Eleitoral para auxiliar os trabalhos relativos ao pleito, a inexistência de multas aplicadas, em caráter definitivo, pela Justiça Eleitoral e não remitidas, e a apresentação de contas de campanha eleitoral.

Eleitores faltosos

Até esta segunda-feira (25), 20.860 (1,377%) eleitores que não votaram e não justificaram a ausência nas três últimas eleições já regularizaram a situação junto à Justiça Eleitoral em todo o país, do total de 1.514.622 eleitores na mesma situação.

O eleitor que não regularizar a sua situação eleitoral sofre uma série de restrições, entre elas, não poder ser candidato a cargo eletivo, não poder tirar passaporte, realizar concurso público e nem se matricular em instituição de ensino público.

O eleitor que tiver o nome incluído na relação que a Justiça Eleitoral divulgou em fevereiro deste ano deverá comparecer ao cartório eleitoral até o dia 25 de abril para regularizar sua situação, portando documento oficial com foto, título eleitoral, comprovantes de votação, de justificativa eleitoral e de recolhimento ou dispensa de recolhimento de multa.

A Justiça Eleitoral ressalta que não será expedido qualquer tipo de notificação ao eleitor, seja de forma impressa (correspondência) ou eletrônica (e-mail), sobre a situação do título. O não comparecimento ao cartório eleitoral para comprovação do exercício do voto, da justificativa de ausência ou do pagamento das multas correspondentes implicará o cancelamento automático do título de eleitor, que será efetivado de 10 a 12 de maio de 2013.

Se um eleitor deixou de votar no primeiro e no segundo turno de uma mesma eleição, já serão contadas duas eleições para efeito de cancelamento. Além disso, poderão ser contadas faltas às eleições municipais, eleições suplementares e referendos. Não serão computadas as eleições que tiverem sido anuladas por determinação da Justiça.

Os eleitores no exercício do voto facultativo – menores de 18 anos, maiores de 70 anos e os analfabetos – não serão identificados nas relações de faltosos. As pessoas com deficiência para as quais o cumprimento das obrigações eleitorais seja impossível ou extremamente oneroso também não terão o título cancelado.

O eleitor no exterior que deseja regularizar a sua inscrição eleitoral deverá comparecer à repartição consular ou Embaixada do Brasil que atenda a sua localidade. O interessado deve portar documento oficial de identificação, ou comparecer a qualquer cartório eleitoral ou central de atendimento ao eleitor, quando retornar ao Brasil.

A atualização cadastral acontece sempre no ano posterior às eleições – ou seja, nos anos ímpares – e é um dos primeiros passos para a depuração do colégio eleitoral brasileiro com vista à eleição seguinte.

Números por Estado

Maior colégio eleitoral do Brasil, o Estado de São Paulo registra o maior número de eleitores que poderão ter o título cancelado, um total de 372.441. Em seguida aparece o Rio de Janeiro, com 145.867, e Bahia, quarto colégio eleitoral do país, com 132.503.

Entre os municípios, São Paulo (capital) também se destaca com o maior número de eleitores irregulares passíveis de cancelamento do título: 117.996 no total. Em segundo lugar está a cidade do Rio de Janeiro, com 46.462, e, em terceiro, Salvador, com 39.302.

As capitais com menos faltosos são Goiânia-GO e Aracaju-SE (4), Maceió-AL (5) e Curitiba-PR (7). Porto Velho não tem nenhum faltoso.

Eleições anteriores

A atualização cadastral ocorre sempre no ano posterior às eleições. Em 2011, 1.395.334 eleitores tiveram seus títulos cancelados por não terem votado nem justificado a ausência nas três últimas eleições realizadas até 2010.

Em 2009, o total de títulos cancelados foi de 551.456, isso para os eleitores que completaram, nas eleições municipais de 2008, três eleições sem votar ou justificar a ausência. Em 2007, 1.640.317 documentos foram cancelados.

Em 2006, ano posterior ao referendo realizado em 2005, a Justiça Eleitoral retirou dos seus cadastros 569.899 títulos eleitorais. Já em 2005, foram cancelados 1.081.721 documentos, após o registro das ausências ao pleito de 2004.


*Fonte: ASICS/TSE