19 de jan de 2015

VEREADOR ZÉ MOURA DISSE " ACREDITO NA GESTÃO DO NOVO PRESIDENTE.....


RENAN CALHEIROS ENTRA NA BRIGA COM HENRIQUE PARA MANTER WALTER SOUSA NA DIREÇÃO DO DNOCS


Renan Calheiros e Henrique Alves
A informação é de Felipe Patury na revista Época… O PP busca um nome para o BNB e achou outro para ocupar o Departamento Nacional de Obras contra as Secas (Dnocs).
Trata-se do ex-deputado Paulo Lustosa (CE). Os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), lutam para manter o potiguar Walter Sousa no cargo. Foto: Agência Câmara.

KELPS LIMA ADMITIU SER CANDIDATO A PREFEITO DE NATAL NAS ELEIÇÕES DE 2016



O deputado Kelps Lima admitiu ser candidato a prefeito de Natal nas eleições do próximo ano. Ao ser questionado sobre o assunto durante entrevista ao Jornal de Hoje, neste sábado (17), o deputado do Solidariedade que se encontra no exercício do seu seu mandato afirmou: “qualquer político que ama sua cidade quer um dia ser prefeito dela”. Kelps Lima disse que “é preciso ousar na administração e sair de uma gestão do tempo dos dinossauros, trazendo a modernidade e o desenvolvimento que o potencial de Natal exige”.
Segundo Kelps Lima foi reeleito com 59.619 votos dos quais 17.750 na capital. Sua principal pauta na Assembleia Legislativa tem sido trabalhar e contribuir com debate para modernizar a gestão pública no Estado. Ele aprovou projeto acabando com marcas e slogans de governo, retirar foto de governante de prédios públicos e proibir inauguração de obras inacabadas. “Tem que sair de uma gestão do tempo dos dinossauros trazendo a modernidade e o desenvolvimento que o potencial de Natal exige”, disse Kelps sobre o governo de Carlos Eduardo.


A prefeitura do Encanto, no Alto Oeste potiguar, inaugurou no sábado (17) o Complexo de Lazer “Valdir Felix da Silva” e a Praça de Eventos “Tião Batista”. As obras são frutos de emendas parlamentares destinadas pelo deputado federal Felipe Maia e pelo senador José Agripino, sendo entregues à população pelo prefeito Alberoni Neri.
Antes de participar do evento, Felipe Maia que estava acompanhado da ex-prefeita de Mossoró, Cláudia Regina, visitou correligionários em Pau dos Ferros. O parlamentar foi recebido pelo ex-prefeito Leonardo Rêgo e seu pai, o deputado Getúlio Rêgo, o presidente da Câmara, Gilson Rêgo, e os vereadores Gugu Bessa e Francisco José (Gordo do Bar).

Femurn / Prefeitos do PMDB traíram o partido, afirma Henrique

Do portal Noar
O presidente estadual do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves, se posicionou, em entrevista à imprensa, durante a visita do deputado Eduardo Cunha (PMDB) a Natal, sobre a dissidência de prefeitos do seu partido na eleição da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn).
Para Henrique, houve traição de gestores peemedebistas, tendo em vista que Benes Leocádio (PMDB) era o candidato do PMDB à presidência da entidade.
“Nós já sabíamos, mais ou menos, das dificuldades. Todo o governo se mobilizou, nós conhecemos a força de um governo que se inicia. A surpresa foi ver algumas defecções do próprio PMDB, que eu não esperava. Acho que o partido tem que ter compromisso. Tem que ter coerência. Tem que ter história. Não pode ficar ao vagar das conveniências por interesses menores. Houve defecções do próprio PMDB que me surpreenderam”, declarou o peemedebista.
Questionado sobre a atitude da direção estadual do partido em relação aos prefeitos que ele acha que traíram a sigla, Alves foi enfático ao dizer que não é questão de achismo.
Para ele, a traição foi confirmada, com a participação de gestores da agremiação, inclusive, na chapa do prefeito de Mossoró, Silveira Júnior (PSD), que foi eleito para presidir a entidade.
“Não é nem achar. É ter a confirmação. Algumas defecções que podemos ter, vamos ter uma conversa nos próximos dias para saber as razões. O PMDB é um partido democrático, não é um partido que impõe de cima para baixo, vamos ver as razões e cada um assuma esse papel e sua responsabilidade”, concluiu Henrique.

PR quer ministério dos Transportes de porteira fechada

porteiraPRO Partido da República (PR), de propriedade do ex-deputado Valdemar Costa Neto (SP), mensaleiro que cumpriu pena na Papuda e hoje se refestela em prisão domiciliar, retoma a velha prática do fisiologismo e está mapeando os cargos a serem preenchidos no âmbito do Ministério dos Transportes. Órgãos vinculados (ANTT, EPL, Valec e DNIT) receberam ordens para enviar à cúpula do PR a relação desses cargos.
Segundo o Diário do Poder, seis meses após a posse de Dilma, em 2011, Veja revelou o esquema de corrupção no mesmo Ministério dos Transportes, chefiado pelo PR. Em julho de 2011, em pretensa “faxina ética”, Dilma demitiu Alfredo Nascimento (então presidente do PR) do Ministério dos Transportes.

Dono do PR, mensaleiro cria mais dois partidos

Deu no Cláudio Humberto:
Valdemar Costa Neto
Ex-inquilino da Papuda, mas ainda em prisão domiciliar, o mensaleiro Valdemar Costa Neto ficou com inveja de Gilberto Kassab. O ministro de Cidades, animado com a facilidade para criar seu PSD, recria o Partido Liberal (PL), que já foi de Valdemar. O presidiário, dono do Partido da República (PR), foi à forra: está criando dois partidos: Muda Brasil (MB) e o Partido da Mobilização Popular (PMP).

Câmara: Planalto trabalha pela candidatura de Chinaglia

candidatos camara
Cunha (PMDB), Chinaglia (PT) e Júlio Delgado (PSB)

No dia 1º de fevereiro, enquanto boa parte dos eleitores estará na expectativa pelo Carnaval, deputados federais estarão em meio a uma ferrenha disputa pela presidência da Câmara dos Deputados. Apesar de a maior parte do público não dar muita importância ao cargo, ele pode ser a diferença entre o “céu e o inferno” para qualquer governo.
A eleição para a presidência da Câmara é feita a cada dois anos e é decidida por meio do voto direto dos membros das duas casas. Na Câmara dos Deputados, três candidatos disputam o cargo: Eduardo Cunha (PMDB), Arlindo Chinaglia (PT) e Júlio Delgado (PSB).
Apesar de o governo afirmar que, oficialmente, não vai interferir na disputa, nos bastidores, o Planalto trabalha pela candidatura de Chinaglia. Cunha, que já disse ser a favor de uma nova CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Petrobras, é visto como um risco para o governo, e Júlio Delgado tem o apoio do arquirrival do PT, o PSDB.