29 de nov de 2012

'Jesus' é condenado a 13 anos de prisão pelo crime de homicídio no RN

Pescador Francisco Genilson foi julgado nesta quarta (28), em Macau.
Ele matou a própria madrasta, de 70 anos, a pedrada; crime foi em 2010.


O pescador Francisco Genilson Rosa da Silva, de 32 anos, mais conhecido como 'Jesus', foi condenado a 13 anos de prisão pelo assassinato, a pedrada, de sua própria madrasta, a aposentada Tereza Maria de Oliveira, de 70 anos. O crime aconteceu em agosto de 2010 na cidade de Macau, distante 176 quilômetros da capital potiguar. A sentença de 'Jesus' foi preferida pela juíza Cristiany Maria de Vasconcelos Batista, titular da Vara Criminal de Macau, onde o réu foi julgado na tarde desta quarta-feira (28).

Segundo a sentença, 'Jesus' cometeu homicídio qualificado pelo meio cruel. “O denunciado teria encontrado a vítima e, após uma discussão, pegou uma pedra que estava na rua e desferiu um golpe contra a cabeça dela. Já com a ofendida caída no chão, o acusado desferiu várias cutiladas nela com uma faca”, relatou a acusação.

"Fixo a pena base para o acusado em 13 anos e seis meses de reclusão, por entender que fixá-la no mínimo legal não atenderia a necessidade de repressão e prevenção do delito", sentenciou a magistrada. Contudo, por ter confessado o crime, a juíza atenuo a pena de 'Jesus' em seis meses.

O júri popular foi realizado no Fórum Emídio Avelino. Do julgamento, participaram também o promotor Wilmar Carlos de Paiva Leite Filho e o defensor público Ewerton Florêncio da Costa.

Morre o jornalista Joelmir Beting

Ele tinha mais de 55 anos de carreira e era multimídia; atuava na TV, rádio, escrevia livros e mantinha um site


Morreu na madrugada desta quinta-feira, dia 29, o comentarista da Band, Joelmir Beting, aos 75 anos. Ele estava internado desde o dia 22 de outubro no hospital Albert Einstein, em São Paulo, e, no domingo, sofreu um acidente vascular encefálico hemorrágico.

Veja a trajetória do jornalista

Palmeirense de coração, Joelmir atuava como comentarista de economia no Jornal da Band e na Rádio Bandeirantes. Ele também era um dos apresentadores do Canal Livre.

Perfil

Joelmir José Beting nasceu em Tambaú, interior de São Paulo, em 21 de dezembro de 1936, onde permaneceu até 1955. Neste período, chegou a trabalhar como boia-fria, aos sete anos de idade. Em 1957, Joelmir – encorajado pelo Padre Donizetti Tavares de Lima, a quem se referia como “guru espiritual e profissional” – começou a estudar sociologia na USP (Universidade de São Paulo) para “fazer carreira no jornalismo”.

No jornalismo, iniciou na editoria de esportes, ainda durante a faculdade de sociologia, em 1957. Trabalhou na cobertura de futebol nos jornais “O Esporte” e “Diário Popular” e também na rádio Panamericana, que posteriormente virou Jovem Pan.

Economia

Em 1962, sociólogo formado, trocou o jornalismo esportivo pelo econômico. Inicialmente, como redator de estudos de viabilidade econômica para projetos desenvolvidos por uma consultoria de São Paulo.

Quatro anos depois, foi convidado a lançar uma editoria de Automóveis no caderno de classificados da "Folha de S.Paulo". Em 1968, Joelmir foi “premiado”, como ele mesmo afirmava, com o cargo de editor de economia do jornal. Em 7 de janeiro de 1970, lançou sua coluna diária, que foi publicada durante anos por uma centena de jornais brasileiros, com o timbre da Agência Estado.

Em 1991, o profissional iniciou nova fase no jornal “O Estado de S.Paulo”. Em texto publicado por Joelmir em seu site, ele descreveu a coluna como o pau-da-barraca profissional. "Com ela, desbravei o economês, vulgarizei a informação econômica, fui chamado nos meios acadêmicos enciumados de ‘Chacrinha da Economia’, virei patrono e paraninfo de 157 turmas de formandos em Economia, Administração, Engenharia, Agronomia, Direito”.

Multimídia

A coluna foi mantida até 30 de janeiro de 2004. No mesmo ano que ela foi lançada, em 1970, Joelmir também começou a passar informações diárias sobre economia nas rádios Bandeirantes, CBN, Jovem Pan e Gazeta. E também na TV Bandeirantes, Gazeta, Record e Globo, a partir de 1985 até julho de 2003.

Em março de 2004 voltou para a TV Bandeirantes, onde permaneceu até hoje como comentarista econômico nas rádios BandNews FM e Rádio Bandeirantes, e também do Jornal da Band, na TV. Também era um dos âncoras do programa de entrevistas Canal Livre.

Joelmir foi um jornalista multimídia. Escreveu os livros "Na Prática a Teoria é Outra" (1973) e "Os Juros Subversivos" (1985) e dezenas de ensaios para revistas semanais. Além disso, o jornalista foi conferencista no Brasil e no exterior. Realizava palestras em empresas, convenções, simpósios, congressos e seminários. Era onde se reencontrava, como ele dizia, com a profissão que pretendia seguir nos tempos da USP: o magistério.

Em seu site, ele se descrevia como uma pessoa que trabalhava e estudava 15 horas por dia, assim como na infância. Joelmir era casado com Lucila, desde 1963, e pai de dois filhos: Gianfranco, publicitário e webmaster, e Mauro, comentarista esportivo de jornal e televisão.

Diplomação dos Eleitos na Eleição de 2012

Foi lançado o edital da diplomação do Prefeito(a) e Vereadores(as) de Serra do Mel,
marcada para o dia 17.12.2012 as 18:00 horas na Câmara Municipal de Serra do Mel.
FINALMENTE
quem SERÁ DIPLOMADO.
MANOEL CANDIDO DA COSTA
com 4.049 votos ou
MARIA LUCIA DE OLIVEIRA
com 3.926 votos

O Exmo. Sr. PEDRO CORDEIRO JUNIOR, MM. Juiz Eleitoral da 34ª Zona - Mossoró, Estado do Rio Grande do Norte, na forma da lei, etc.

FAZ SABER a todos quantos o presente EDITAL virem ou dele conhecimento tiverem, que, nos termos do art. 215, caput, da Lei nº 4.737/65 (Código Eleitoral) c/c art. 165 da Resolução TSE nº 23..272/2011, será realizada a solenidade de DIPLOMAÇÃO dos candidatos a Prefeito e Vereador, eleitos e suplentes, pelo Município de Serra do Mel-RN, nas Eleições Municipais de 2012, no dia 17 de dezembro do corrente ano, às 18 horas, na Câmara Municipal de Serra do Mel-RN, esclarecendo-se desde logo que serão expedidos e entregues na solenidade, diplomas aos eleitos, primeiros, segundos e terceiros suplentes de vereador de cada Coligação Partidária.

E, para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa alegar ignorância, foi expedido o presente Edital para ciência dos interessados, o qual deverá ser afixado em Cartório, na Câmara Municipal de Serra do Mel e publicado no Diário de Justiça Eletrônico do TRE-RN, na forma da Lei.
Dado e passado nesta cidade de Mossoró, Estado do Rio Grande do Norte, aos 16 (dezesseis) dias do mês de novembro do ano de dois mil e doze (16/11/2012). Eu ________(Francisco Márcio de Oliveira), Chefe da 34ª Zona, o digitei e conferi.
PEDRO CORDEIRO JUNIOR
Juiz Eleitoral da 34ª Zona

Prefeitos aguardam FPM extra para pagar 13º salário


A Secretaria do Tesouro Nacional divulgou nesta quarta-feira (28) o fator de correção da última cota de novembro de Fundo de Participação dos Municípios, o que projeta um aumento de 35% em relação do FPM de outubro. As prefeituras de cidades com até 10.188 habitantes vão fechar o mês com R$ 515,6 mil em valores brutos, que não incluem os descontos de 20% do Fundo Nacional da Educação e Valorização do Magistério (Fundeb), 15% do Fundo Municipal de Saúde, 1% do Pasep, além das contribuições sociais, que variam de prefeitura a prefeitura. O fator de correção é de 1,0953%.
Em final de mandato, e preocupados com o que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal sobre o equilíbrio financeiro da gestão pública, a esperança dos prefeitos é a parcela extra do FPM, uma espécie de poupança que é feita ao longo do ano (o tesouro retém 1% do volume de recursos a cada mês) para pagar o décimo-terceiro dos servidores municipais.
O dinheiro do FPM-Extra deve ser depositado até o dia 10 de dezembro para que a segunda parcela do abono natalino possa ser paga antes do dia 20, como determina a legislação trabalhista vigente no Brasil.
Um estudo divulgado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), no início de novembro, mostra que no acumulado do ano, em valores brutos e descontada a inflação, o valor repassado pelo governo federal aos municípios era, até então, de R$ 57,1 bilhões. "Em comparação com os valores do mesmo período do ano passado, o FPM acumula uma queda de 2,7%", aponta o estudo.
Os prefeitos brasileiros, que estiveram em Brasília no final de outubro, defendem uma reforma tributária urgente e a redistribuição dos royalties do petróleo. Eles lembram que o parcelamento previdenciário, autorizado pela presidenta Dilma Rousseff, não resolve o problema.

Primeira viagem
Na semana passada, o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, esteve em Natal participando de um encontro com prefeitos eleitos, organizado pela Femurn - Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte.
Ziulkoski apresentou números mostrando a sazonalidade do FPM nos últimos dez anos e mandou um recado para os "marinheiros de primeira viagem". "Não se emocionem com a boa arrecadação no início de cada ano. Na bonança é hora de economizar, poupar recursos até o final do mandato para cobrir eventuais dívidas."
Segundo ele, a crise financeira deve se agravar com as novas atribuições e obrigações imposta aos municípios. Os levantamentos da entidade apontam que os pisos salariais dos profissionais de saúde e de outras categorias, em análise no Senado e na Câmara dos Deputados, representam um impacto de R$ 50 bilhões por ano para os cofres municipais.


Fonte: Tribuna do Norte