25 de mai de 2011

Henrique Alves troca farpas com líder do Governo e diz que não recebeu nenhum telefonema de Dilma durante o processo de votação do Código Florestal


Vacarezza e Henrique batem boca na Câmara Federal na votação do Código Florestal


A votação da emenda 164, que pretende mudar dispositivos no projeto do Código Florestal, colocou de lados opostos no plenário da Câmara o líder do PMDB na Casa, Henrique Eduardo Alves (RN), e o líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP), desencadeando um longo bate-boca na sessão desta terça (24).

Em um longo discurso, o líder do PMDB mandou um recado direto para a presidente Dilma Rousseff, ao afirmar que em nenhum momento a presidente teria se envolvido no debate do Código Florestal. "Em todo esse período de discussão dessa matéria, não troquei uma palavra com a presidente Dilma, não recebi um telefonema da presidente Dilma. Mas há um ditado popular que diz: 'Vivendo e aprendendo'", afirmou Henrique Alves.

O líder do PMDB defendeu a aprovação da emenda contrariando a orientação do governo e tratou de justificar a iniciativa afirmando que o gesto não fazia parte de um embate entre governo e oposição, mas sim uma discussão de interesse do país: "Quero dizer que não sou aliado do governo Dilma. Sou o governo Dilma. Tenho um vice-presidente da República que não foi nomeado, foi eleito. Sou do governo do PMDB e do PT, do PT e do PMDB", enfatizou Henrique.

Ao rebater o discurso do peemdebista, o líder do governo afirmou que a emenda 164 "era uma vergonha para o país". Na avaliação de Vaccarezza, que disse falar em nome de Dilma, a emenda defendida pelo líder do PMDB e por setores da base aliada e até da oposição poderia descaracterizar o texto do relator Aldo Rebelo.

"Essa emenda diz que está aberto para todos consolidar tudo que já foi feito [desmatado] ou não. E, nesse sentido, o governo diz: 'não está aberto para desmatamentos'. É isso que o governo quer", afirmou Vaccarezza.

Rebatendo o líder do PMDB, Vaccarezza afirmou que a discussão da emenda era, sim, uma questão de governo e oposição. Vaccarezza arrancou vaias do plenário ao afirmar que o parlamento ficaria "mais fraco" se o governo fosse derrotado: "Esta Casa está sob ameaça não quando o governo sai vitorioso. A Casa fica sob ameaça quando o governo é derrotado."

Ainda se referindo ao discurso do líder do PMDB, Vaccarezza disse que Alves “não expressou o sentimento da presidente Dilma [Rousseff]” ao defender a emenda na tribuna da Câmara. “A presidente considera que essa emenda é uma vergonha para o Brasil, e me pediu para dizer isso os deputados”, discursou Vacarezza.

Fonte: Portal G1

postado por cleumy candido ás 09:00

Policiais civis em greve lotam galerias da Assembléia Legislativa e pedem socorro aos deputados Fotos: Assessoria/Sinpol




Nesta terça-feira(24) os policiais civis em greve fizeram uma caminhada saindo do Sinpol até a Assembléia Legislativa. Pacificamente, eles ocuparam as galerias da AL exibindo faixas e cartazes.

Na Assembléia, os dirigentes do Sinpol conversaram com o presidente da Casa, deputado Ricardo Motta, e com parlamentares de oposição e da situação. Além de Ricardo Motta, os dirigentes do Sinpol conversaram com Fernando Mineiro, Tomba Farias, Getúlio Rêgo, Gilson Moura e Fábio Dantas, que se comprometeram em ajudar nas negociações com o Governo.

“Estes planos dos servidores não são do ano passado, foram iniciados em 2004, 2005 e eles abriram mão de outras garantias para conquistá-los. A greve dos servidores é uma resposta à radicalização do Governo, que tem adotado uma posição ruim, sem negociação. O Governo escolheu o caminho de derrotar o servidor, que está reagindo e isso é ruim para a sociedade”, argumentou Mineiro.
O deputado Walter Alves ouviu os diretores do Sinpol, recolheu o documento com a pauta de reivindicações, e disse que conversaria com os colegas para ver como poderiam ajudar a categoria. “Entendemos que tem que haver o diálogo e que o governo deve mostrar um cronograma, dizendo quando pode atender os pleitos, já que agora não está podendo”, frisou o deputado do PMDB.
O líder do Governo na Assembléia, Getúlio Rêgo, disse que provocará uma audiência pública para discutir o limite prudencial imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal, hoje maior alegação do Governo para não implantar o plano de cargos dos policiais civis e outras categorias de servidores.

Já Tomba Farias disse que uma audiência, que deveria ter ocorrido nesta terça-feira(24), acontecerá nesta quarta-feira (25) com o procurador geral do Estado, Miguel Josino, e o chefe da Casa Civil, Paulo de Tarso, para discutir a convocação de policiais militares e civis concursados.

“Precisamos que o Governo abra o diálogo com urgência. Não conversam nem com os deputados. Queremos diálogo mais franco com a Assembleia”, enfatizou Tomba.

postado por cleumy candido ás 08:45

Curtas do Blog...Curtas do Blog...Curtas do Blog...

Juventude – A Assembléia Legislativa realiza nesta quarta-feira(25) mais uma audiência pública. Desta vez será para discutir o tema “Juventude e Políticas Públicas”. Evento tem início às 9h30 e atende a propositura do deputado Fernando Mineiro.

Copa 2014 – O deputado Gustavo Carvalho fez pronunciamento na sessão de ontem da Assembléia Legislativa dizendo sua preocupação com as notícias veiculadas na imprensa local e nacional acerca da possibilidade das obras do estádio Arena das Dunas não ficarem prontas até a Copa de 2014. Segundo Gustavo, o estádio Machadão não pode ser demolido sem a certeza de que a capital potiguar sediará realmente a Copa.
Convocação de Demétrio – Para dirimir todas essas dúvidas, Gustavo Carvalho sugeriu que a Assembléia Legislativa convoque o secretário Extraordinário para Assuntos da Copa, Demétrio Torres, para comparecer ao plenário da Casa na próxima semana.

Documento da FIFA - Gustavo afirmou que as notícias são preocupantes e que seria importante que o Governo do Estado tivesse algum documento da FIFA expressando a irreversibilidade da decisão de Natal sediar a Copa. “Imaginem se demolirmos o estádio Machadão e a FIFA resolver diminuir o número de sedes. Nós precisamos nos tranqüilizar com relação ao calendário de obras adotado pelas autoridades responsáveis”, enfatizou o deputado do PSB.

Parnamirim - A Prefeitura de Parnamirim vai construir uma estação de transbordo para evitar que o município fique à mercê das instabilidades gerencias da Companhia de Serviços Urbanos de Natal. A Urbana prorrogou até janeiro de 2013 um convênio de uso da estação de Cidade Nova, mas queria suspender unilateralmente a parceria e só não o fez por força de decisão judicial. A estação ficará na divisa com Macaíba e obedecerá a todas as normas de segurança e higiene, inclusive às que dizem respeito ao tráfego aéreo, tendo em vista as restrições impostas num raio de 20 quilômetros do aeroporto internacional Augusto Severo.

Custo do projeto – De acordo com o prefeito Maurício Marques, o projeto custará cerca de R$ 500 mil e será executado com recursos próprios. "Vamos fazer remanejamentos de recursos para viabilizar a estação e resolver o problema do lixo", enfatiza Maurício.

Emendas ao PNE - A deputada federal Fátima Bezerra lembra que já está aberto o prazo para que os deputados apresentem emendas ao PL 8035/10, que institui o Plano Nacional de Educação(PNE) 2011-2020. No dia 13 de junho, na Assembléia Legislativa do RN, haverá audiência pública sobre o PNE. Evento contará com a presença de Fátima Bezerra e de deputados federais membros da Comissão Especial que analisa o Plano Nacional de Educação.

Amanda Gurgel – A professora Amanda Gurgel deve ter cuidado para não misturar sua luta em defesa da educação com política partidária. Ela é filiado ao PSTU e já tem gente do partido lançando o nome de Amanda para prefeita de Natal em 2012. Se Amanda misturar sua legítima e bonita luta em defesa da educação com política partidária vai cair no descrédito. Até porque não é um discurso em defesa da educação que credencia ninguém para a atividade política. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Ceara-Mirim – A notícia publicada pelo blog sobre a possibilidade do ex-senador Geraldo Melo e da ex-prefeita Edinólia Melo ingressarem no PSD causou frisson em alguns setores da política de Ceará-Mirim. O vereador Júlio César e o seu grupo político não teriam gostado nada da informação. É que se Geraldo e Edinólia forem para o PSD, certamente irão com o compromisso de comandar o partido. Assim sendo, o vereador Júlio César e o seu grupo, que já anunciaram que ingressarão no PSD, seriam liderados de Geraldo e de Edinólia. Além disso, Júlio César poderia esquecer uma eventual candidatura sua ou de sua mãe, Dra. Eleonor, à sucessão do prefeito Antônio Peixoto.

AL em Bento Fernandes - O deputado Ricardo Motta, presidente da Assembleia Legislativa, participa nesta quarta-feira(25). em Bento Fernandes, no Agreste Potiguar, da abertura da décima edição da Assembleia Cidadã. Serão dois dias de atividades, aulas, oficinas e serviços para a população. Serão parceiros da Assembléia entidades como o SESI, SESC, SENAC, ITEP, CAERN, SEJUC, BEMFAM, IFRN e Polícia Militar, através do Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência).

Assinatura contra Palocci - O deputado federal Rogério Marinho foi o primeiro parlamentar a assinar o pedido de abertura da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar a suspeita de enriquecimento ilícito do ministro-chefe do Gabinete Civil do Governo Federal Antonio Palocci. Rogério assinou o requerimento nesta terça-feira(24).

Esclarecimentos - Rogério Marinho afirma que o ministro, como representante principal do Governo, precisa prestar esclarecimentos convincentes à população. Segundo o parlamentar, os brasileiros não aceitaram as explicações dadas até agora por Palocci, que lucrou em 2010, ano eleitoral, R$ 20 milhões com consultorias.

Greves – Além dos policiais civis, continuam as greves dos professores da rede estadual de ensino e dos motoristas dos transportes coletivos de Natal. É possível que a greve dos motoristas de ônibus acabe hoje. Já a greve dos professores e dos policiais civis não têm a menor previsão de chegar ao fim. Até agora o Governo Rosalba Ciarlini não apresentou nenhuma proposta aos grevistas. A cantiga do Governo é uma só: não há dinheiro para o cumprimento da lei aprovada pela Assembléia Legislativa em 2010 referente à implantação dos planos de cargos e salários dos servidores públicos.

Bancada – Nesta quinta-feira(26) a governadora Rosalba Ciarlini deverá reunir sua bancada na Assembléia Legislativa. Até agora, passados cinco meses de sua posse, Rosalba não se reuniu, uma só vez, com os deputados que dão sustentação política e administrativa ao seu Governo.

postado por cleumy candido ás 08:36