24 de mar de 2014

Wilma diz ao Blog que só anuncia candidatura depois de conversar com Eduardo Campos


24 de março de 2014 às 21:34 

A vice-prefeita de Natal e candidata ao Senado, Wilma de Faria (PSB), confirmou agora ao Blog que vai amanhã a Recife para uma reunião com o presidente do seu partido, o governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos.

O encontro será na casa de Campos, na entrada do bairro Dois Irmãos, na capital pernambucana.
“Quero ouvir o presidente do meu partido. Ele vai me orientar”, disse Wilma, que irá ao encontro com os deputados estaduais pessebistas Márcia Maia, Larissa Rosado e Tomba Farias, e a federal Sandra Rosado, mais alguns membros do partido.

Questionei Wilma sobre o vice da chapa, que não deverá mais ser o deputado João Maia (PR), e ela disse que conversou com o governadorável Henrique Alves (PMDB) e ele disse que nada mudou e que era combinado fazer o anúncio por partes…

Por partes, então, significa que Wilma também não anuncia sua candidatura ao Senado na sexta-feira?
“Não posso falar em anúncio sem conversar com Eduardo Campos”, afirmou Wilma ao Blog.


Perguntei se ela continuava candidata ao Senado e sobre a chapa da especulação, apontando o nome dela para Governo, o de João Maia para vice e o da deputada Fátima Bezerra para o Senado…
“Continua tudo normal”, disse Wilma, afirmando que só se houver uma “catástrofe” é que ela mudará de ideia.
Perguntei o que para ela seria uma catástrofe.
Ela riu.


Fonte: Thaisa Galvão
 

Fátima Bezerra consultou mãe Diná…


Da deputada federal Fátima Bezerra:
“Sou candidatíssima ao Senado e vou ter 1 milhão de votos, igual a Garibaldi”.
Será que Fátima anda fazendo alguma consulta a mãe Diná?

O DOMINGO COM AMIGOS ........ BOM DE MAIS



ENCONTRO COM OS AMIGOS ----- SILVIO ABRANTES, MARIA, ZÉ MARIA, E ZÉ BORÉ

CHAPA DE HENRIQUE PODERÁ SER MUDADA


“Ninguém colocou essa necessidade para mim, e não acredito que ela venha a existir”, diz João Maia sobre suposta mudança na chapa majoritária


Durante a entrevista que concedeu a 94 FM de Natal, nesta segunda-feira o deputado federal João Maia (PR) foi interrogado sobre alguma articulação para substituí-lo, na chapa majoritária que vem sendo composta por ele, Henrique e a ex-governadora Wilma de Faria, dentro da aliança do PMDB, PR, PSB, PROS, PRB, PV e outros partidos. João negou conhecer qualquer estratégia neste sentido.
Eu sempre digo que estou aqui pra ser uma solução, e não problema. Eu quero ajudar o RN, e meu projeto de aceitação de ser candidato à vice é dentro de um projeto. Se for necessária essa substituição, eu não seria nenhum empecilho. Eu só ouvi dos companheiros da aliança, de Henrique, de Wilma de que eu sou um nome essencial. Até agora ninguém colocou essa necessidade para mim, e não acredito que ela venha a existir”, esclareceu.TAGS:PR

Ex-procurador de Justiça diz que tentou inúmeros esforços para usar prédio de R$ 850 mi


Manoel Onofre justificou que ao assumir a Procuradoria-Geral de Justiça o problema com o imóvel já existia, mas tentou reverter o caso sem sucesso


Por Leonardo Dantas
(Foto: Alberto Leandro)
Manoel Onofre: “Não conseguimos vender” (Foto: Alberto Leandro)
O ex-procurador-geral de Justiça (PGJ), Manoel Onofre Neto falou pela primeira vez a respeito do prédio comprado por R$ 850 mil e não utilizado pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), localizado na Avenida Deodoro da Fonseca com a Rua José de Alencar, no Centro de Natal. Ele não foi o responsável pela compra, mas sua gestão não conseguiu dar uso ao prédio entre junho de 2009 e junho de 2013.
Ele justificou que, ao assumir a PGJ o problema com o imóvel já existia, ou seja, a impossibilidade de instalar as promotorias criminais no local. Na ocasião, a então Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte Urbano (STTU) exigiu a ampliação no número de vagas de estacionamento de 12 para 24 unidades, o que teria impossibilitado a ocupação.
“Pedimos um estudo de engenharia e foi verificado a necessidade de um serviço orçado em R$ 550 mil para adequar o edifício. Discutimos o valor dentro do orçamento, inclusive com o Governo do Estado. Mas não chegamos num entendimento”, disse.
Manoel Onofre listou diversas alternativas para dar uso ao imóvel, como a busca de áreas a serem cedidas para local de estacionamento, permuta com outras instituições públicas – estadual e municipal – e a elaboração de um projeto de lei na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN).
“Em 2011, encaminhamos o projeto de lei após análise do Colégio de Procuradores e foi aprovado com algumas alterações e autorizando a venda a partir de junho daquele ano. Uma das alterações condicionava a venda do prédio a, no mínimo, mesmo valor pago. O mercado imobiliário se comportou de maneira distinta e o preço caiu. Não conseguimos vender”, revelo Onofre.
O ex-procurador garantiu que os esforços não cessaram para dar destino ao local, alegando que foi solicitado um novo projeto transformando o prédio num depósito e departamento de manutenção do setor de Tecnologia da Informação do MP. Segundo ele, esse projeto foi concluído em outubro de 2012 e teve sua análise em 2013.
Contudo, neste momento, a PGJ solicitou uma nova avaliação que elevou o valor anterior para R$ 914 mil, atendendo o quesito da Lei nº 9.483 de maio de 2011, a qual permitia a venda com valor superior a R$ 850 mil.
Neste momento, tem início a gestão do então procurador-geral Rinaldo Reis. Ele decidiu por dar continuidade ao processo de alienação e venda do imóvel, convocando um leilão. No entanto, nenhum comprador se apresentou e o aviso de licitação foi dado como “deserto”. Esse, inclusive, foi o argumento apresentado para que o prédio continuasse sem uma destinação, ou seja, abandonado.
Atualizado em 24 de março às 15:17