25 de fev de 2019

(A pedido do Próprio) - prefeita demite vice prefeito de Umarizal do cargo de secretário...


As águas das chuvas trazem novidades até a terra do gavião...

perguntar não é crime, por que isso agora ???????

Mais novidades em breve ...

Henrique Alves sai da toca


O ex-deputado federal e ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves deve sair da toca depois do carnaval e botar o bloco na rua para reestruturar o MDB no Rio Grande do Norte.  O partido saiu desgastado na eleição passada com a derrota do senador Garibaldi Alves Filho.

RN: Os novos desafios da Sejuc


Novo titular da Sejuc, Pedro Florêncio assegurou que a gestão à frente da pasta terá continuidade: “O corpo dirigente de cada unidade é o maior responsável pelo funcionamento regular das unidades prisionais e para a manutenção da ordem e da paz social no Estado. Não abriremos mão disso”, declarou. O ex-secretário adjunto, Maiquel Mendes afirmou que “a equipe de diretores e coordenadores penitenciários do RN recebeu treinamento adequado e conduz de forma eficiente e comprometida o sistema prisional”.  Para Arméli Brennand, ex-titular da pasta, “a categoria de agente penitenciário é fundamental para a garantia da tranquilidade e da paz social” e seus direitos são reconhecidos e respeitados pelo Governo, enquanto uma categoria especial, integrante das forças de segurança. Sobre o compromisso de organizar e encaminhar a proposta administrativa para a cisão da Sejuc, a ex-titular informou que a tarefa foi cumprida. Os projetos de lei aguardam votação na Assembleia Legislativa.

Militares negociam recuo de tanques venezuelanos na fronteira


O Ministério da Defesa informou neste domingo (24), por meio de nota, que intercedeu para que incidentes, na linha de fronteira, envolvendo venezuelanos e a Guarda Nacional Bolivariana, não voltem a se repetir. Uma das medidas negociadas foi a retirada de tanques das forças militares do país vizinho que estavam posicionados em uma barreira do lado venezuelano da fronteira.  “Os veículos antidistúrbios, que estavam na barreira montada no país vizinho, recuaram imediatamente. Militares brasileiros e venezuelanos negociaram, no local, e foi entendida a inconveniência da presença desse tipo de aparato militar. No lado brasileiro, o controle dos acolhidos foi reforçado para evitar novos confrontos”, informou a pasta.   O ministério reiterou que manterá a fronteira do Brasil aberta para acolher os imigrantes, que buscam refúgio no país. “Há um ano, o Brasil está engajado na Operação Acolhida – ação humanitária para atender aos irmãos venezuelanos que chegam no País. Por isso, o Ministério da Defesa reitera a confiança numa solução urgente para a situação na Venezuela”. As informações são do Notícias ao Minuto.