7 de ago de 2013

AMANHÃ POSTAREI ESSA MATÉRIA QUE ESSE ANÔNIMO ESTÁ PEDINDO OK

cleumy gostaria que vc fizesse uma materia sobre o transporte escolar q esta com seis messes de atraso e o prefeito fez uma reuniao com os motorista q tavam parado e prometeu pagar sexta feira passada e ate agora nada alguns deles ja pararam novamente, manovergonhauzl

Faltava Rosalba no Teleférico

Não falta mais. Na gastronomia de Martins, festa iniciada na minha gestão na FJA, fui comer pizza em Natal. Ao voltar tomei conhecimento de que a festa foi um sucesso. Parabéns. Muita gente. Parabéns. Muito policiamento, coisa rara na vida real e cotidiana. Parabéns. Mas dentre outras coisas fiquei sabendo que a Governadora não saiu às ruas. Será verdade? Também soube que ela repetiu o discurso vintenário de tudo que é festa oficial na cidade: Numa fala, em recinto fechado, repetiu a frase pronunciada por seus aliados políticos há vinte anos. “O dinheiro do teleférico está ouvindo a conversa”. Esse dinheiro deve está com os ouvidos entupidos de ceroto. De tanto que ouve a conversa do jumentim teleférico. Tomara que eu esteja errado, mas essa vai ser a tônica da próxima campanha de Governo. E depois da próxima campanha de prefeito e depois da próxima campanha…até quando? Se eu fosse essa gente me desmoralizaria fazendo de uma vez por todas a bosta desse teleférico pinoquiano. Mas sabe onde vai ser telefericado? Na terra de Peter Pan. Com Sininho soltando o pó de perlimpimpim. A Governadora não precisava, nessa hora de tanto descrédito e dificuldades, embarcar nessa canoa furada, ô, nesse bondinho vazado.

Blog do François Silvestre

Morre em Natal ex-primeira dama do Rio Grande do Norte

 DO G1.COM

Morreu na tarde desta desta terça-feira (6) a ex-primeira dama do Rio Grande do Norte, Celina Maria Maia Ferreira de Souza, esposa do ex-governador Iberê Ferreira de Souza. Ela estava internada há uma semana na Casa de Saúde São Lucas, em Natal.
O velório será realizado a partir das 22h desta terça no Centro de Velório São José. Nesta quarta-feira (7) haverá uma missa, às 9h, no Centro de Velório. De lá, o corpo segue para Recife, onde será cremado.

A ex-primeira dama vinha lutando há anos contra uma doença degenerativa.

Olho D'água do B Gija, ex-prefeito de Tangará, é condenado a quatro anos de prisão


Uma denúncia do Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) contra o ex-prefeito de Tangará, Giovannu César Pinheiro e Alves, mais conhecido como “Gija”, resultou na condenação do político a quatro anos e dois meses de reclusão, a serem cumpridos em regime inicialmente semiaberto. Ele foi considerado culpado por desvio de verbas na reforma da sede de um assentamento.

Em 2001, o Ministério da Agricultura firmou um contrato de repasse com a Prefeitura de Tangará, então administrada por Giovannu César, envolvendo recursos de aproximadamente R$ 180 mil, dos quais R$ 150 mil foram repassados pela União e o restante seria a contrapartida municipal. Um dos objetivos do contrato era a reforma do prédio-sede do assentamento Três Voltas.

Apesar da obra ter sido integralmente paga, a empresa contratada, a RioNorte Construções Ltda., não realizou a revisão de esquadrias de madeira com substituição de ferragens danificadas, nem instalou as 21 luminárias fluorescentes para duas lâmpadas de 40W cada, embora esses itens estivessem previstos no plano de trabalho pré-aprovado. Foram instaladas apenas 12 luminárias fluorescentes para uma lâmpada cada.

Em 2008, a Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário do RN determinou uma Relatoria de Visita, que constatou que “a prefeitura iniciou os reparos na casa-sede, mas nem tudo o que estava previsto foi realizado (…), as esquadrias não foram recuperadas, as fechaduras não foram substituídas, o forro do teto não foi recuperado e está caindo, portões de ferro ainda estão por ser colocados, o prédio continua sem instalação hidráulica, dentre outras omissões”.

No entender do juiz Federal, “é fato que o decurso dos anos pode ensejar o enferrujamento de portas e janelas, e até mesmo infiltração no teto, mas não há como as luminárias terem sido substituídas”. O suposto proprietário da empresa beneficiada pelo desvio de recursos foi inocentado pela Justiça, “por se tratar, muito provavelmente, de simples ‘laranja’ inserido no quadro social da empresa sem seu conhecimento ou autorização”.

Em depoimento, o suposto proprietário revelou que forneceu seus documentos a parentes, mas que não sabia que era para figurar como sócio de nenhuma empresa, afirmando que jamais esteve em Tangará e nem trabalhou na área de engenharia civil, sendo na verdade vendedor, com residência em João Pessoa, na Paraíba.

Ao calcular a pena do ex-prefeito, o magistrado considerou, entre outros fatores, que Giovannu César é réu em várias ações criminais pela prática de crimes de desvio de dinheiro público e de fraudes licitatórias. Além da pena de quatro anos e dois meses, ele terá de indenizar um valor de, no mínimo, R$ 2.117,47 aos cofres da União. Após o trânsito em julgado, poderá ainda ficar inabilitado por cinco anos para o exercício de cargo e função pública, eletivo ou de nomeação; e se a sentença for confirmada por tribunal se tornará inelegível por até oito anos após o cumprimento da pena.

Fonte: Portal no Ar.