4 de out de 2013

Câmara empossa prefeito interino de Mossoró


Foto: Walmir Alves
A Câmara Municipal de Mossoró (CMM) empossou, na tarde desta quarta-feira ( 2), o vice-presidente da Câmara Municipal de Mossoró, vereador Alex Moacir(PMDB, no cargo de prefeito interino da cidade. O parlamentar chegou ao cargo após o afastamento da prefeita Cláudia Regina e do vice-prefeito Wellington Filho, determinada por decisão judicial da 34º Zona Eleitoral de Mossoró. A sessão aconteceu às 17:30h, no plenário da Câmara Municipal.
De acordo com a decisão, o presidente da Câmara, Francisco José Júnior, deveria ser empossado no cargo, mas devido o mesmo estar em viagem familiar, quem assumiu o comando do município foi o vice-presidente, Alex Moacir. A decisão prevê a realização de uma eleição suplementar no prazo de 90 dias.
Alex Moacir declarou que vai trabalhar para manter a ordem administrativa do município. Na próxima sexta-feira, todas as atividades da prefeitura municipal funcionam normalmente, já que não foi decretado ponto facultativo nas repartições públicas municipais.
Tenho consciência da minha interinidade, mas a população de Mossoró pode ficar tranquila, pois enquanto estiver no cargo assumirei a responsabilidade que lhe é investido“, assegurou. Ele disse ainda que não promoverá qualquer alteração administrativa e garantiu que os auxiliares que fazem parte da administração Cláudia Regina serão mantidos.
Antes de seu pronunciamento, o prefeito interino Alex Moacir foi saudado pelos seus colegas de parlamento. O vereador Vingt-un Neto (PSB) cumprimento o novo prefeito, lembrando que, pela primeira vez na história política de Mossoró um prefeito foi cassado do cargo.

TSE barra partido de Marina Silva nas eleições de 2014


Foto: Alan MarquesMarina Silva e apoiadores do seu partido assistem ao julgamento no TSE
Justiça Eleitoral rejeita a criação do partido Rede Sustentabilidade, idealizado pela ex-senadora Marina Silva, por falta de assinaturas válidas
Em uma decisão que poderá mudar os rumos da próxima eleição presidencial no país, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou na noite desta quinta-feira(3) a criação da Rede Sustentabilidade, partido idealizado pela ex-senadora Marina Silva. Seis dos sete ministros da corte, Gilmar Mendes foi o único a divergir,  votaram contra a formação da legenda, que em sete meses não conseguiu cumprir o requisito básico para seu registro: recolher o mínimo de 492.000 assinaturas certificadas em cartórios eleitorais. Com isso, o partido não poderá participar das eleições de 2014.
A menos que Marina se filie a uma legenda já existente até sábado — um ano antes das eleições —, a decisão do tribunal irá alterar o cenário que se desenhava para as eleições do ano que vem. Com um capital político de 19,6 milhões de votos no pleito de 2010 (19,3% dos votos válidos), Marina aparece hoje como a mais bem colocada adversária na tentativa de reeleição da presidente Dilma Rousseff. Além disso, sua presença na corrida presidencial é considerada crucial pela oposição para forçar a disputa de um segundo turno.

Betinho Rosado enxotou grupo de Ricardo Motta do PP



O deputado federal Betinho Rosado passou feito um trator por cima do presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta, na briga pelo comando do Partido Progressista.
Motta contou aos colegas deputados detalhes da sua conversa com o irmão de Carlos Augusto Rosado. Segundo o presidente da AL, Betinho comunicou a ele sem meias palavras:
- Ricardo, eu estou assumindo o controle do PP. Você e seu filho (vereador Rafael Motta, que presidia a legenda) vão para qual partido?
Ricardo Motta ficou sem fala. Simplesmente, não tinha o que responder. Foi pego de surpresa. O jeito foi juntar os panos e os aliados para buscar outro partido.
Henrique Eduardo Alves, do PMDB, lhe ofereceu o novo PROS - Partido Republicano da Ordem Social. "O Pros é meu", teria dito Henrique a Motta antes de mais um casamento no último final de semana.
Betinho Rosado, claramente, enxotou o grupo de Motta do PP. O parlamentar articulou sua assunção ao comando estadual do PP com o presidente nacional da legenda, senador Ciro Nogueira (PI), em Brasília.

PIOR NÃO PODE FICAR / DEM do RN quer evitar candidatura à reeleição de Rosalba Ciarline

A Executiva estadual do Democratas descarta apoiar a candidatura a reeleição da governadora Rosalba Ciarlini. A situação coloca a chefe do Executivo estadual e a legenda em choque. Integrantes do DEM defendem que a legenda priorize para 2014 as eleições proporcionais, buscando a reeleição dos deputados estaduais (Getúlio Rego, José Adécio e Leonardo Nogueira) e do deputado federal (Felipe Maia).


Já a governadora Rosalba Ciarlini tem confidenciado a assessores e liderados políticos que deseja ser candidata a reeleição. A agenda de inaugurações no interior do Estado e uma comunicação mais intensa nas redes sociais são sinalizações do projeto político da governadora. O problema é que nessa articulação a chefe do Executivo poderá não ter legenda que a viabilize como candidata. A disposição dos líderes do DEM no Estado é não dar a legenda para Rosalba Ciarlini ser candidata e, com isso, priorizar a chapa proporcional.

O entendimento de assessores muito próximos aos deputados estaduais e ao senador José Agripino Maia é de que a candidatura de Rosalba inviabiliza e ameaça o DEM no Estado. Com uma candidatura a reeeleição, Rosalba afastaria a possibilidade de alianças partidárias para a chapa proporcional que poderiam garantir a reeleição dos deputados estaduais e federal do partido. O entendimento da executiva estadual do DEM é direto: Rosalba não é candidata e, com isso, a direção da legenda conseguirá articular a composição de uma expressiva aliança proporcional. 

O distanciamento da governadora Rosalba Ciarlini e do marido dela, o secretário chefe da Casa Civil, Carlos Augusto Rosado, do senador José Agripino Maia, presidente nacional e estadual do partido, é visível. O casal optou por administrar o Estado centralizando as ações.

Tribuna do Norte