20 de jun de 2016

POR -- EVA DIAS - Não consigo ver transformações em uma Sociedade que exclui cidadãos.

A Educação Inclusiva veio para abrir um leque de oportunidades àquela minoria da qual a sociedade não estava dando conta. Desde que saia do papel e seja transformada em ação, ela é plausível e eficaz.


O Esporte, por exemplo, é um instrumento pedagógico valiosíssimo, como desenvolvimento da individualidade, formação para a cidadania e orientação para a prática social. Além de permitir a descoberta de novos sentidos e significados, ele proporciona chances reais de integração social.
No Ensino Médio, eu fui apresentada ao basquetebol e desenvolvi uma paixão por esse esporte. Não era das melhores jogadoras, mas o que ele me ensinou hoje percebo em ações minhas do dia a dia. E, todo esporte ensina algo, assim como depois tive grandes ensinamentos durante os treinos e competições de handebol. Por fim, o encanto  pela natação me levou a aprender os 4 estilos de nado ainda na pré-adolescência, o que mostrou-me que poderia chegar onde nem eu mesma acreditava. E, essa crença me trouxe medalhas. Isso é vivência. Uma vivência possível dentro das escolas públicas porque a minha escola era pública.

Defendo as várias práticas esportivas porque acredito que devemos enxergar as pessoas como seres únicos, ou seja, indivíduos com necessidades e desejos diversos. Quanto mais opções tivermos, menos exclusão teremos. Portanto, o estímulo aos diferentes tipos e modalidades de esportes é uma realidade possível; às vezes, com investimento alto, porém compensador porque os instrumentos desportivos tem, em sua maioria, longa validade.


E, nessa diversidade temos de citar além dos mais conhecidos, os esportes radicais, os esportes intelectuais e os esportes eletrônicos. Todos esses com resultados de otimização de memória, estruturação do pensamento lógico, agilidade em cálculo e probabilidades. Sem contar, a emoção e adrenalina que produzem aos participantes e torcedores. 
Inovar é trabalhoso, mas não é difícil. Principalmente em um Município como Umarizal, onde percebemos que as pessoas, principalmente os jovens, são adeptos às atividades físicas, ou melhor, atividades que causem movimento. Porém, é necessário que conheçam mais modalidades para que possam fazer escolhas e não sofrer imposições por falta de opção. E mais, incluir os que estão à margem, porque sendo apresentados às variedades existentes, certamente optarão por um ou até mais de um!
Um Educador sabe o valor de ter um cidadão envolvido na Educação Desportiva, dentro da qual um dos princípios básicos é o famoso fair-play (jogo limpo), que exige o respeito pelas regras; o respeito pelos colegas, adversários e árbitro; o fortalecimento dos laços de amizade; e a disputa, sem violência física ou verbal. Imagine o ganho imenso da sociedade só com essa regra bem assimilada pelos atletas. Porém, volto a afirmar que é preciso que o maior número de cidadãos sejam contagiados pela emoção do Esporte. Para isso, deve-se ter opções para todos. Não é difícil, é apenas trabalhoso.

Mano Onofre segue no grupo governista: Prefeito afastado afirmou apoio às pré-candidaturas de Marcos e Washington Sales


O prefeito afastado Mano Onofre (DEM) afirmou na tarde deste domingo, 19, que segue firme e forte atrelado ao grupo governista e apoiando as pré-candidaturas de Marcos Fernandes (PSD) e Washington Sales (PSB), a prefeito e a vice, respectivamente, de Umarizal. Marcos já havia informado que estava em diálogo com Mano e que sua permanência na base governista era tida como certa.
“Mano nunca tinha saído do grupo. Infelizmente ele está com suas atividades em Natal, estudando e teve que continuar sua vida particular e realmente não poderia estar aqui, mas Mano toda vida foi um homem de compromisso, do grupo, nunca saiu de perto do grupo e agora ele veio só reafirmar o que ele já dizia, permanecendo no grupo”, afirmou Marcos ao O UMARIZALENSE.
Os dois prefeitos estiveram reunidos na tarde de hoje e fecharam o compromisso político. Marcos disse que o afastamento de Mano no ano passado de maneira nenhuma interferiu a aliança política firmada por ambos em 2012, quando Mano foi eleito prefeito pelo DEM e Marcos vice pelo PSD.
“Aconteceu esse episódio com ele e ele teve que sair para tomar de conta das suas coisas, está estudando, fazendo faculdade, mas veio para Umarizal para dizer realmente que está nesse projeto da minha pré-candidatura com o pré-candidato Washington em 2016”, garantiu Marcos.
Ainda no encontro deste domingo, Marcos disse que a permanência de Mano no grupo fortalece o projeto político governista e consolida sua pré-candidatura a prefeito. “Toda vida Mano foi um cara muito importante no grupo. O pessoal respeita, gosta muito dele, então graças a Deus, a continuidade de Mano no grupo só veio fortalecer nosso projeto”.
Também participaram da reunião, a esposa de Mano, Sandra Maia e seus irmãos Raimundinho e Helena Maia. O pré-candidato a vereador e ex-secretário chefe da Casa Civil das gestões de Mano e Marcos, Maykon Nunes também esteve presente no encontro.
Posicionamento
Mano foi eleito em 2012 com o aval e o apoio político do deputado estadual Getúlio Rêgo (DEM), que no pleito deste ano está apoiando a pré-candidata da Oposição, Elijane Paiva (DEM).
Mano deverá se pronunciar oficialmente em breve para falar sobre como fica sua relação política com Getúlio. O parlamentar estadual perde uma importante peça política no município, pelo menos nesta campanha municipal.
O prefeito afastado era cogitado como um provável reforço ao projeto político da pré-candidata, Elijane. Getúlio e o ex-prefeito Néo, em entrevistas que concederam à FM Fraternidade, sempre mantiveram o discurso de que Mano poderia sim se aliar à Oposição, mas essa possibilidade agora está descartada.
*O Umarizalense

“Me sinto preparado para contribuir com a melhoria da saúde em Umarizal”, diz enfermeiro pré-candidato a vereador.


Enfermeiro Gilmar (Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal)
Com 25 anos trabalhando na área da saúde, o enfermeiro Gilmar Freitas, ou Gilmar de Alba como é popularmente conhecido quer ser vereador de Umarizal para assegurar à população o direito a uma saúde de melhor qualidade através do Sistema Único de Saúde – SUS. Foi que ele disse em entrevista ao O UMARIZALENSE.

“Penso que a saúde pode ser construída na comunidade e, como é um direito fundamental das pessoas, deve ser assegurado sem distinção de raça, de religião, ideologia política ou condição socioeconômica, por isso me sinto no dever de contribuir na garantia desse direito. E uma das formas que posso contribuir para isso é através da legislatura, como vereador”, disse Gilmar.

O pré-candidato atualmente está trabalhando na capital do Estado, como plantonista no Hospital João Machado e em Nova Cruz (RN), como coordenador de Atenção Especializada em Saúde. Mesmo distante de Umarizal, Gilmar não esqueceu do município onde nasceu. Ele explica por que quer ingressar na vida política.

“Por acreditar que tenho feito minha parte enquanto cidadão e, certamente, por ver o momento de renovação na política a nível nacional e também em nossa cidade, acredito que precisamos participar ativamente nas decisões”, contou o enfermeiro.


Gilmar

O enfermeiro Gilmar Freitas é natura de Umarizal. Nascido no sítio Campos, na zona rural, o pré-candidato pertente às famílias Freitas, por parte de mãe e a família Oliveira ou Curculina, por parte do pai. “Não sou de nenhuma família “ilustre”, porém tenho muito orgulho de todos, pois ganhamos a vida honestamente e temos grandes profissionais com destaque na educação e na saúde”, contou Gilmar.

Casado há 20 anos, Gilmar tem três filhas. Duas com a atual esposa e uma com a ex. “Por obra do destino”, ingressou na área da saúde. Primeiro se tornou auxiliar técnico de enfermagem e hoje é formado em enfermagem.

Hoje o enfermeiro reside em Natal, capital do Estado. “Não deixei Umarizal, mas tive que fixar residência também em Natal, com o intuito de buscar novas oportunidades, as quais infelizmente não eram oferecidas em nosso município, para me formar como Enfermeiro [...] “Atuo nessa área há mais de 25 anos, conheço o SUS desde sua criação e, por isso, me sinto preparado para contribuir para a melhoria da saúde em Umarizal”, afirma.

Do O Umarizalense (Reprodução autorizada mediante citação do O Umarizalense)

Dilma seria uma lorota na Comissão


1bd5f494bfApeada do poder pela corrupção, a presidente afastada Dilma Rousseff (PT) não vai hoje fazer sua defesa oral em interrogatório marcado pela comissão de impeachment no Senado. Orientada por advogados e assessores, não poderá, no entanto, dizer mais na frente, quando for cassada na votação final do processo no plenário da Casa, que seu direito de defesa foi cerceado.



Seus assessores acham que ficar frente a frente num confronto direto com uma comissão majoritariamente oposicionista não vale a pena, seria perda de tempo. Mas Dilma não vai, na verdade, por causa do seu despreparo. Suas falas não têm começo, meio nem fim. Seu raciocínio é de quem tem um parafuso solto. Quando larga o script e os discursos escritos, a petista é um deus nos acuda.