18 de nov de 2013

Confira a programação da Festa de Emancipação Política de Umarizal

A Secretaria Municipal de Cultura já divulgou a programação oficial dos festejos de 55 anos de Emancipação Política de Umarizal. A Festa desse ano terá início no dia 23 e seguirá até o dia 27, data oficial do aniversário.

Ao longo da programação irão haver competições esportivas, concursos, apresentações culturais e shows com música ao vivo.

Durante o lançamento oficial da festa que ocorreu no início do mês, o prefeito Mano destacou que a programação desse ano foi elaborada com o mínimo de gastos e contando com a parceria de empresários e da população. "Haja vista a situação financeira que o município vem enfrentando, mas vamos fazer uma grande festa, valorizando a nossa cultura", disse.

Confira a programação oficial:

23 DE NOVEMBRO (SÁBADO)

   19 horas - Abertura oficial (pronunciamento do prefeito e autoridades presentes);

   20 horas - Apresentação cultura: A Mais Bela Voz, no palco Trabalhando para o Desenvolvimento;

   22 horas - Música ao vivo com Alexsandro bandeira.

24 DE NOVEMBRO (DOMINGO)

   8 horas - Corrida de jegue;

   9 horas - Corrida de bicicleta;

   10 horas - Gincana de motos;

   14 horas - Corrida de motocross (próximo ao Loteamento Divinópolis);

   20 horas - Apresentação cultural no palco Trabalhando pelo Desenvolvimento (danças);

   22 horas - Música ao vivo com o quarteto Sílvio Abrantes, Naninho dos Teclados, Natália Maia e Léo do Acordeo).

25 DE NOVEMBRO (SEGUNDA-FEIRA)

   17 horas - Palestra sobre a não violência contra a mulher pela delegada da Polícia Civil, Liane;

   19 horas - Abertura da programação do Selo Unicef;

   19h30 - Palestra com a coordenadora do Selo Unicef do RN;

   20 horas - Concurso do Bebê com faixa etária de até 2 anos;

   22 horas - Música ao vivo com Pilim e Refional.

26 DE NOVEMBRO (TERÇA-FEIRA)

   19 horas - Culto ecumênico;

   21 horas - Apresentação cultural: Miss Umarizal com faixa etária de 14 a 18 anos;

   22 horas - Música ao vivo com Fabiano Show;

27 DE NOVEMBRO (QUARTA-FEIRA)

   6 horas - Cavalgada;

   8 horas - Maratona;

   10 horas - Missa solene na Igreja Matriz do Sagrado Coração de Jesus;

   20 horas - Entrega de premiações;

   22 horas - Pronunciamento de encerramento do prefeito Carlindson Onofre;

   23 horas - Festa dançante com André Luvi e Forró da Galera.

DETALHES

   Serão montados estandes das secretarias municipais, todas as noites, para apresentação das atividades/trabalhos desenvolvidos pelas mesmas.

   Todas as noites haverá a I Feira Municipal do Empreendedor com vendas de bebidas, comidas, artesanatos, etc.

Do site da Prefeitura de Umarizal

JOSÉ DIAS O DEPUTADO QUE INSISTE EM SE ESCONDER DO POVO DE UMARIZAL.

foto: raniele gomes


O DEPUTADO JOSÉ DIAS (PSD) ESTEVE EM UMARIZAL NESSE ULTIMO SÁBADO DIA 16, O DEPUTADO PARTICIPOU DA MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS AOS 10 ANOS DE FALECIMENTO DE HELENA LÚCIA FILHA DO EX – PREFEITO DE UMARIZAL ROGÉRIO FONSECA (PROS).

COMO SEMPRE O DEPUTADO MAIS UMA VEZ VEIO PRA UMARIZAL MAS INSISTE EM SISCONDER DO POVO, POVO ESSE QUE QUE A TANTOS ANOS CONFIA SEU VOTO A ESSE PARLAMENTAR.

O DEPUTADO FICOU “BLINDADO” POR SEUS ASSESSORES E UM GRUPINHO DE PESSOAS QUE LHE SEGUEM, AI EU FICO ME PERGUNTADO COMO É QUE ESSE DEPUTADO QUER TIRAR MAIS VOTOS DE QUE O MEDICO AMIGO GETÚLIO REGO (DEM)?, SEI QUE O APOIO DE ROGÉRIO VAI LHE DAR MAIS ALGUNS VOTOS MAIS NÃO ACREDITO EM UMA VITORIA NAS URNAS AQUI DE UMARIZAL.

NAS ELEIÇÕES DE 2010 JOSÉ DIAS QUE AINDA ERA DO (PMDB) QUASE NÃO ERA REELEITO E TEVE QUE ESPERAR QUASE 100% DAS SEREM APURADAS PARA PODER CONFIRMAR SUA REELEIÇÃO, ISSO NÃO É SURPRESA, POR QUE UM DEPUTADO QUE SE ESCONDE DO POVO NÃO MERECE VOTO.


TEXTO: CLEUMY CANDIDO FONSECA

"O tempo mostrará quem agiu de forma correta", diz Ricardo Motta

Ricardo Motta encara o PROS com o otimismo
O presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta (PROS), concedeu entrevista ao O Mossoroense em que analisou o quadro político no Rio Grande do Norte e falou sobre o afastamento político da governadora Rosalba Ciarlini (DEM).
O Mossoroense: O senhor iria para o PP, mas acabou assumindo o PROS após uma manobra do deputado Betinho Rosado. A mudança de rumo foi boa para o senhor?
Ricardo Motta: Considero o fato superado. Claro que as circunstâncias foram desagradáveis, mas penso para frente. Não há um mal que não traga um bem. O caminho que se abriu se revelou muito mais consistente e promissor para todo o nosso grupo.

OM: Como o senhor recebeu essa atitude de Betinho de atrapalhar sua migração para o PP?
RM: Como já afirmei, não adianta mais ficar remoendo episódios ruins. O tempo mostrará quem agiu de forma correta.

OM: Isso influencia as suas relações com a governadora Rosalba Ciarlini?
RM: Não quero misturar questões políticas com a relação institucional entre a Assembleia Legislativa e o Executivo. A Assembleia Legislativa tem sido parceira do Rio Grande do Norte independentemente do posicionamento político ou individual de cada um dos 24 senhores deputados.

OM: Enquanto presidente da Assembleia, como o senhor analisa a relação da governadora com os três poderes?
RM: Desde o início do Governo e a história está aí para provar, fizemos tudo para manter um relacionamento harmonioso entre os poderes. Mas não posso deixar de reconhecer a dificuldade de diálogo com o Executivo. Tanto é assim, que a Assembleia tem sido o fórum de discussões inerentes ao Governo. Somos procurados por sindicatos, representantes das classes produtoras e dos demais poderes para assumir essa interlocução.

OM: Durante esses quase três anos de Governo Rosalba, o senhor foi considerado o principal intermediário dela com a Assembleia. De fato houve esse empenho de sua parte?
RM: Claro. Tento conciliar, acredito no debate, no diálogo e na solução que atenda a todos. Por isso, não me neguei a buscar de forma incessante o entendimento. Desde que assumi a presidência da Assembleia Legislativa.

OM: Na sua opinião, que fatores levaram a governadora a ver a base dela ruir?
RM: Prefiro resumir tudo à falta de abertura para o diálogo por parte do Governo.
OM: Na Casa tramita um pedido de impeachment contra a governadora. O senhor é a favor disso?
RM: Na condição de presidente da Casa, não vou emitir qualquer opinião, até em respeito aos deputados da Comissão de Constituição e Justiça, onde o pedido está tramitando. Portanto, não irei fazer qualquer juízo de valor sem que haja um parecer oficial da CCJ.

OM: O senhor tem conhecimento de algum pedido de CPI para ser protocolado na Assembleia para investigar o Governo?
RM: Informalmente algumas pessoas têm citado o assunto, mas nada foi protocolado.

OM: Com relação às eleições do ano que vem. O seu nome chegou a ser lançado para o Governo do Estado em Assú. O senhor tem pretensão de disputar a majoritária?
RM: Agradeço a menção ao meu nome, é uma honra, sem dúvida, mas meu plano para as eleições do ano que vem é claro: pretendo renovar meu mandato de deputado estadual.

OM: O senhor deixou transparecer que estará ao lado do PMDB nas eleições. Quem é o melhor nome do partido para o Governo na sua opinião?
RM: O momento não é de discutir nomes e também cabe ao PMDB, com base nos excelentes quadros de que dispõe, debater o nome a ser lançado. No caso do PROS, nosso ponto de convergência é estar ao lado de quem apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

OM: Esse agrupamento que gira em torno do PMDB pode ter Fátima Bezerra ou Wilma de Faria candidatas ao Senado. Qual dos dois nomes o senhor teria mais dificuldade de apoiar?
RM: A política, para mim, sempre será agregar e unir. Não tenho nada contra qualquer desses nomes apontados, as duas têm seus méritos e serviços prestados ao Rio Grande do Norte. Mas, repito: ainda não é hora de fechar chapas.

OM: Quais as metas para o PROS potiguar nas eleições do próximo ano?
RM: O PROS nasceu forte. Temos a maior bancada na Assembleia Legislativa. Tivemos a satisfação de filiar a maior bancada de vereadores em Natal, Assú e Macaíba, só para citar três municípios e também valorosos companheiros em Mossoró, como Genivan Vale e Heró Silva. Vamos lutar em 2014 para eleger um deputado federal e ampliar nossa bancada na Assembleia Legislativa. Quero deixar bem claro: o PROS terá papel fundamental nas eleições do próximo ano.

OM: Em Mossoró, o PROS tem dois vereadores. Genivan Vale é oposição e Heró Silva é aliado da prefeita Cláudia Regina. Qual a orientação para eles?
RM: Muito em breve, conversaremos com os vereadores para definir nossa posição. Mas, de antemão, o PROS jamais ficará contra os interesses da população de Mossoró, a exemplo do que faz em todo o Estado.

OM: Como o senhor avalia a atual legislatura da Assembleia Legislativa?
RM: Com muita satisfação. Nosso mandato tem marcas que já estão na história. A maior delas, sem sombra de dúvidas, é o concurso público, o primeiro em 178 anos de existência do Poder Legislativo do Rio Grande do Norte. O concurso é uma antiga reivindicação da sociedade atendida pela Casa. Temos programas de inclusão social, como o da contratação de pessoas com síndrome de Down, pioneiro e exemplo para todo o país, o Recomeçar, que é requalificação de pessoas da terceira idade, o Assembleia na Copa, cursos para trabalhadores do ramo do turismo, o Procon da Assembleia, que tem batido recordes e recordes de atendimentos e conciliações, superando todas as expectativas e campanhas institucionais de interesse geral, como a do combate às drogas.

OM: Que marca o senhor quer deixar ao encerrar o mandato de presidente da mesa diretora?
RM: Citei várias marcas. Que se confundem na palavra e na ação do trabalho. Quem me conhece, sabe do meu estilo discreto e tem certeza de que maior do qualquer marca pessoal, minha satisfação é ver o resultado coletivo desses projetos e a transformação que eles proporcionam aos beneficiados. O importante é que conto com o apoio de todos os meus colegas, de cada servidor. Ninguém faz nada sozinho. A Assembleia é a Casa do Povo. O importante é que o povo esteja próximo e integrado ao seu poder.
Bruno Barreto
Editor de Política

FONTE: O MOSSOROENSE.COM

PSD de Robinson Faria fecha com a reeleição de Dilma. E aí Wilma?

A ex-governadora Wilma de Faria (PSB) não tem dado sorte nessa fase de pré-campanha eleitoral. Para qualquer lugar que corra, ela esbarra com a candidatura de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).
A imprensa local deu amplo espaço ao encontro que Wilma teve recentemente com o vice-governador Robinson Faria e com o deputado federal Fábio Faria, ambos do PSD (Partido Social Democrático).
Diante da falta de espaço numa eventual chapa majoritária que pode reunir PMDB e PT, Wilma de Faria, cujo PSB tem candidato a presidente da República (Eduardo Campos), engatou uma conversa promissora com Robinson Faria, outro que não está encontrando vaga no bonde dos peemedebistas e petistas.
Wilma pode precisar de Robinson num hipotético projeto de enfrentamento dos poderosos, caso fique fora do 'acordão'.
O problema é que o PSD de Robinson Faria vai receber a presidenta Dilma Rousseff na próxima quarta-feira (20), na sede da legenda em Brasília, selando o compromisso político para 2014.
Trata-se do primeiro compromisso formal de um partido com vistas à reeleição da presidente Dilma Rousseff.
A deferência da presidenta (em vez de o partido ir a ela, Dilma é quem vai ao partido) tem como objetivo demonstrar ao PT e demais legendas que o PSD de Gilberto Kassab é aliado de primeira hora.
Como fica a conversa entre Wilma e Robinson depois deste lance político da campanha nacional? O PSB tem candidato a presidente, Eduardo Campos. O PSD de Kassab e de Robinson Faria passa a ter candidata à reeleição, Dilma Rousseff.
A exemplo do PT, o PSD vai cobrar apoio de Wilma a Dilma? Como fica Wilma no PSB de Eduardo Campos?
São questões que nem Wilma possui as respostas.


FONTE: PORTAL NO MINUTO/RN

Fernando Bezerra: o Ponto C de Henrique e Garibaldi

FONTE: DO VEJA ONLINE