9 de jun de 2014

(A) A pré-candidatura ao governo do deputado federal Henrique Alves (PMDB) recebeu nesta segunda-feira (09) o apoio do grupo formado pela família da deputada estadual Gesane Marinho, que inclui seu pai Jurandir, ex-prefeito de Canguaretama, a atual prefeita Fátima, sua mãe, e o vereador de Natal Bertone Marinho, irmão da parlamentar.


(A) A pré-candidatura ao governo do deputado federal Henrique Alves (PMDB) recebeu nesta segunda-feira (09) o apoio do grupo formado pela família da deputada estadual Gesane Marinho, que inclui seu pai Jurandir, ex-prefeito de Canguaretama, a atual prefeita Fátima, sua mãe, e o vereador de Natal Bertone Marinho, irmão da parlamentar.

A tendência é que o apoio do grupo seja extensivo aos demais pré-candidatos da aliança.
Henrique Alves recepcionou em seu apartamento Gesane e Jurandir Marinho, que preside o PMDB em Canguaretama. Também participaram da reunião o ministro Garibaldi Filho e o prefeito de Serrinha Fabiano de Souza, ambos do PMDB.

Gesane reafirmou que a falta de atenção do seu partido, o PSD, inviabilizou seu projeto de reeleição e se sentiu à vontade para conversar com Henrique Alves por perceber a postura agregadora do pré-candidato do PMDB.

 “Eu sempre me coloquei à disposição nesse projeto de recuperação do Estado. Mas foi preciso outro partido enxergar a condição que eu tenho para colaborar”, disse a parlamentar.

Henrique externou sua gratidão à deputada e exaltou as qualidades da nova aliada. “Uma deputada da qualidade de Gesane Marinho merece o respeito de todos os partidos. O seu apoio honrará o PMDB”, afirmou.

A tendência é que o apoio do grupo seja extensivo aos demais pré-candidatos da aliança.
Henrique Alves recepcionou em seu apartamento Gesane e Jurandir Marinho, que preside o PMDB em Canguaretama. Também participaram da reunião o ministro Garibaldi Filho e o prefeito de Serrinha Fabiano de Souza, ambos do PMDB.
Gesane reafirmou que a falta de atenção do seu partido, o PSD, inviabilizou seu projeto de reeleição e se sentiu à vontade para conversar com Henrique Alves por perceber a postura agregadora do pré-candidato do PMDB.
“Eu sempre me coloquei à disposição nesse projeto de recuperação do Estado. Mas foi preciso outro partido enxergar a condição que eu tenho para colaborar”, disse a parlamentar.
Henrique externou sua gratidão à deputada e exaltou as qualidades da nova aliada. “Uma deputada da qualidade de Gesane Marinho merece o respeito de todos os partidos. O seu apoio honrará o PMDB”, afirmou.

FONTE: https://www.facebook.com/DeputadoHenriqueEduardoAlves?fref=nf

Irmã da ex-coelhinha da banda Saia Rodada é morta por ex-marido dentro de Motel em Paulista/PE

ulista/PE
nathalia COELHINHA
Uma mulher de 26 anos foi morta em um motel localizado na rodovia PE-22, em Paulista, na madrugada deste domingo (8). A  vítima é Grazielle Pereira Calazans, irmã de Nathália Calasans, ex-vocalista do Saia Rodada e atualmente no Forró do Muído. O suspeito é seu ex-marido com quem ela havia sido casada por cerca de oito anos, mas de quem estava separada há cerca de cinco meses. Ele confessou o crime em depoimento prestado ao delegado Humberto Farias Ramos, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Ele foi ouvido na tarde do domingo, após ter alta da UPA de Jardim Paulista, para onde foi socorrido depois de ter bebido água sanitária no local do crime. Eles tinham uma filha de quatro anos. De acordo com a família, ela era vendedora e ele estava desempregado.

Grazielle foi morta por esganadura, ou seja, o agressor usou as mãos para asfixiá-la. Depois de cometer o crime, conforme contou o delegado, o homem bebeu água sanitária e pediu ajuda à recepção do motel porque estava passando mal. Ele foi levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jardim Paulista e já recebeu alta médica.

Suspeito foi preso e confessou o crime
O casal havia dado entrada no motel às 2h30. O delegado Humberto Farias Ramos disse que ainda não sabe a motivação do crime – está aguardando o suspeito chegar ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para interrogá-lo. O perito Gilmário Lima afirmou que, no local, havia vestígios de cigarros, bebidas alcoolicas e cocaína, como a perícia inicial do Instituto de Criminalística comprovou.

“Nós encontramos no local uma cena de consumo de bebida alcoólica, uma pequena quantidade e de cocaína, que segundo o acusado, os dois fizeram uso da cocaína, após terem saído de uma festa. Também tinha várias ‘bitucas’ de cigarro, bebidas e recolhemos tudo isso para provar que só existiam os dois na cena do crime”, explicou o perito criminal Gilmário Lima.

Segundo os parentes de Grazielle Caçazans, que ia completar 27 anos este mês, o ex-marido não aceitava o fim do relacionamento. “Ele não admitia que ela saísse, que ela tivesse namorado, a vida dela era cercada, ele cercava ela mesmo depois que se separaram”, lembra a tia da vítima, Verônica Luiz.

A família afirma que o enterro será no cemitério Parque das Flores, mas ainda não há definições sobre data e horário.


G1

Érico: “A secretária de Saúde não tem tempo para ser secretária de Umarizal"


Faltou tempo, mas sobrou críticas a saúde pública do município de Umarizal no discurso do vereador Érico Onofre (PMDB) na plenária da Câmara Municipal na sessão dessa última terça-feira, 03. Além de destacar a falta de médicos e de apoio da gestão para que o hospital de Umarizal volte a funcionar, Érico também declarou que a atual secretária municipal de Saúde, Luzinete Freitas, não tem tempo para administrar a pasta que lhe é atribuída.
“A secretária de Saúde não tem tempo para ser secretária de Umarizal porque ela é assistente social num hospital regional em Apodi. Tantos bons nome na nossa cidade. Queria pedir o apoio e o suporte de todos os vereadores para gente abrir os olhos do município”, declarou o vereador.

Érico disse ainda em sua fala que irá apresentar um requerimento convocando a Secretária Municipal de Saúde à câmara para prestar esclarecimentos. “Sendo aprovado nessa casa, com base no nosso regimento deixa de ser um pedido e passa a ser uma convocação obrigatória a vinda dela aqui para nos dá explicações”. Disse o Peemedebista se referindo a falta de médicos no Centro de Saúde Dom Elizeu Mendes que segundo ele, passou a semana toda sem o profissional.
Relacionado a APAMI, Érico lamentou a falta de investimento do município no hospital, uma das melhores estruturas hospitalares da região. “Infelizmente a APAMI não pode se locomover sozinha e precisa do auxílio do município ou do Governo do Estado. Não há condições de funcionarmos sem o auxílio de algum órgão governamental”, declarou.
Érico disse que hoje Umarizal poderia estar realizando cirurgias e até realizando partos “Mas o município, com uma das melhores estruturas da região faz de conta que não ver a APAMI”.
Resposta
Críticas apresentadas, a palavra foi para o vereador Washington Sales (PROS) que defendeu a administração municipal e cobrou o papal da APAMI nas responsabilidades com a saúde pública de Umarizal.
“Primeiro a responsabilidade de média e alta complexidade não é do município e sim da APAMI. O município tem a obrigação de atender os 5 PSF – Programa Saúde da Família, o que já vem fazendo. Centro de Saúde não é hospital. OS médicos estão atendendo nos PSF”, declarou Washington.
Na sequência do debate, foi a vez do vereador Robério (PSB) rebater as falas do vereador Érico. “Acho que vossa excelência tá muito equivocado. O senhor é gestor de um hospital que deveria estar fechado, mas está aberto enganando aqueles funcionários que ficam lá sem receber. Peço que o senhor procure o seu deputado [Henrique] pra conseguir recursos para colocar no hospital e na saúde do município”, declarou.
A vereadora Neide (PSD) também contestou o pronunciamento de Érico. “Ao invés de vim aqui atirar pedras, vamos mostrar propostas, projetos e ações e não ficar aqui fazendo um discurso fictício querendo crescer pessoalmente e denegrindo a imagem dos outros”.

Usando a fala novamente, Robério concluiu. “Não é só a Prefeitura de Umarizal que se encontra em dificuldades na saúde não. As prefeituras de todo país estão passando por isso”, finalizou.
Assessoria CMU

Tudo começa na eleição. E para ganhá-la é preciso ter dinheiro. Muito dinheiro. Qual a novidade?


Confesso que fiquei decepcionado com a principal reportagem do Fantástico, neste domingo, sob o “fantástico” título “Assessores e ex-deputado revelam como funciona esquema de corrupção”. Perdi meu tempo. Nada do que foi dito é novidade nem pra mim nem para as torcidas do Flamengo e Corinthians juntas. A bem da verdade a única novidade é que os políticos para ter dinheiro em suas campanhas recorrem a empréstimos com agiotas. E só!
Veja se não tenho razão, caro leitor. A reportagem “fantástica” baseada no livro “o Nobre Deputado”, do juiz de direito Marlon Reis, mostra, segundo o programa, um retrato contundente da corrupção no Brasil, nas palavras de gente que conhece por dentro as tramoias da política. Foram ouvidos, além do autor do livro, um ex-deputado, que o Fantástico declinou de dizer o seu nome, pois que será candidato novamente, dois assessores parlamentares e um personagem fictício travestido de deputado denominado de Cândido Peçanha. Segundo a matéria, “você saberá tudo sobre esse político. Só não vai conseguir ver o rosto, porque Cândido Peçanha não existe na figura de uma pessoa só. Cândido Peçanha é um personagem criado pelo juiz de direito Marlon Reis para o livro “O Nobre Deputado”".
Pois muito bem: o que diz a “fantástica” reportagem:
Para criar o personagem, o juiz Marlon Reis ouviu histórias reais de mais de 100 pessoas que transitam no mundo político. Entre elas, um ex-deputado federal que vai se candidatar novamente nessas eleições, conforme relatei no início do texto.
Não precisa fazer muita coisa para ter o voto porque a população não tem força nem segurança para contestar nada”, destaca o ex-deputado.
Fato é que afora o uso da agiotagem como fundo de dinheiro para política, considerados empréstimos ilegais, o que foi dito na reportagem e que está no livro do juiz Marlon Reis, não é nenhuma novidade, a não ser para os incautos que acreditam que em eleições neste país não há corrupção. Senão vejamos;
O Fantástico pergunta:
Isso significa que candidatos – como o “Cândido Peçanha” – recorrem até a empréstimos ilegais. O pior é que tudo terá que ser pago depois da posse.
Assessor: Ele entra no mandato endividado. Ele precisa do dinheiro.
Fantástico: Mas como ele faz para pegar esse dinheiro e jogar na mão do agiota sem ser notada a falta do dinheiro no cofre?
Assessor: Existem várias maneiras de fazer isso.

Segundo o assessor, um dos alvos é o dinheiro para a educação.
Assessor: O cara saca o dinheiro e entrega para ele. Normal.
Fantástico: Mas não teria que sacar e comprovar onde gastou?
Assessor: Para quem?
Fantástico: Para a Câmara dos Vereadores.
Assessor: Como assim, se os vereadores são cúmplices?
Fantástico: Ou, se for o governador, para a Assembleia Legislativa.
Assessor: Que também é cúmplice.
Fantástico: Mas tem o Tribunal de Contas do Estado.
Assessor: Que também é cúmplice.
Fantástico: O senhor quer dizer que todos são envolvidos?
Assessor: Cúmplices. Todos são. É uma máfia.

Para as empreiteiras, são criadas licitações fraudulentas, obras superfaturadas.
- As empresas, elas não doam. Elas antecipam um dinheiro que será depois obtido e multiplicado por muitas vezes através de contratos dirigidos e direcionados, explica Reis.
Repito: perdi o meu tempo vendo a “fantástica” reportagem!

FONTE: http://blogdobarbosa.jor.br/novo/ do portal no minuto.com

Fuga Abortada no Complexo Penal Mário Negócio em Mossoró. Túnel foi localizado pelos Agentes no Pavilhão 3

8 de junho de 2014




Mais uma fuga foi abortada no Complexo Penal Estadual Mário Negócio em Mossoró,interior do Rio Grande do Norte. Os Agentes penitenciários localizaram na noite deste domingo 08 de junho,um túnel que seria rota de fuga para os detentos do Pavilhão 3.

O Tunel foi localizada na Cela 01 do Pavilhão 3 do regime fechado,medindo 3 metros de profundidade e 8 metros de comprimento e segundo o vice diretor do complexo,José Fernandes,os apenados estavam se preparando para fugir durante a madrugada desta segunda feira 09 de junho.

Pelos menos 60 detentos estavam programando a fuga,mas foram surpreendidos pelos Agentes que descobriram o túnel a tempo evitando a fuga em massa de apenados. O Túnel foi cavado dentro da cela e em baixa de uma cama de alvenaria

Os detentos ficaram isolados,durante o trabalho de fechamento do Buraco,que levou quase a noite inteira. De acordo com José Fernandes,esta foi a 12ª tentativa de fuga abortada pelos Agentes Penitenciários daquela Núcleo prisional. Foram nove por túneis,duas pelo Teto e uma por cerramento de grades.
fonte: O Câmera 2

VERGONHA EM PLENA SEGUNDA – FEIRA NOSSA CIDADE NÃO TEM SE QUER UM MEDICO PARA ATENDER A NOSSA POPULAÇÃO .......




Segunda – feira 09 de junho de 2014, mais um dia de feira em nossa cidade, dia de referencia por que varias pessoas de cidades vizinhas vinham a nossa cidade fazer compras ou vender seus animas e etc, dia também onde todos que moram na zona rural vem a cidade para se consultar, pegar alguma receita,  apresentar alguns exames e etc.

Pois bem, nada disso foi possível por que mais uma vez não tem medico na cidade, e as pessoas são obrigadas a procurar medico em cidades vizinhas, cadê o prefeito que nessas horas não aparece para dar alguma satisfação da constante falta de medico, aproveito a oportunidade para dizer eu entrei em contato com o prefeito para falar sobre esse assunto, mas ele não atende o telefone e quando atende diz que está ocupado e que lhe de voltar depois.....

A população não aguenta mais tanto descaso, por que que de todas as cidades circunvizinhas esse tipo de problema só existe aqui, ninguém fala nada ... e o povo mais uma vez fica no prejuízo com sua saúde entregue nas mãos de Deus ......




José Dias lamenta saída de Gesane Marinho da disputa e acusa Henrique de oferecer dinheiro em troca de apoios

9 de junho de 2014

Deputado do PSD, José Dias falou ao Blog neste domingo sobre a decisão da colega de Assembleia e de partido, Gesane Marinho, de não mais disputar a reeleição como esperado.

Dias confessa que ficou surpreso por acreditar que Gesane tinha uma reeleição garantida e não acredita em falta de interesse da parte da chapa majoritária.

Tio afim do governadorável Henrique Alves (PMDB), José Dias acusa o presidente da Câmara de garantir apoio em troca de ofertas financeiras.



Thaisa Galvão - Como o senhor avalia a decisão de Gesane?

José Dias - Na minha visão não passa, por hipótese alguma pelo desinteresse da chapa majoritária em relação à proporcional. Houve empenho indiscutível e eu sou partícipe interessado. Houve todo esforço de Robinson e Fátima para que houvesse a aliança na totalidade. Algumas pessoas do PT entenderam que não era conveniente para a proporcional do PT e apesar de ser um grande equívoco, nós não podemos impor.

*

Thaisa Galvão - O senhor não acha que isso prejudicou?

José Dias - Na minha visão, e eu defendi desde a primeira reunião, a união em todos os níveis beneficiaria a chapa majoritária. Nunca pensei e ainda não penso que haja prejuízo para a proporcional. Não tenho a menor dúvida que temos possibilidade de fazer 3 deputados estaduais.

*

Thaisa Galvão - Mesmo sem Gesane?

José Dias - Mesmo sem Gesane. Nossa nominata está sendo construída.

*

Thaisa Galvão - Mas essa nominata não seria mais forte com os votos de Gesane?

José Dias - Não podemos desprezar os votos de Gesane que, no meu ponto de vista, tinha reeleição garantida. A saída de Gesane foi construída por uma decisão dela, pelo que me confessou, pelo desestímulo em ser candidata. Não passou por desinteresse outros. Mas, isso não será fator para inviabilizar nossa chapa, até porque os eleitores que iam votar nela é um eleitorado fiel, engajado. É um voto pessoal a ela, mas, politicamente engajado na nossa luta.

*

Thaisa Galvão - O senhor acredita que o voto dela permanecerá no grupo?

José Dias - O voto dela não será transferido para os adversários. Claro que há uma proporção que vai.

*

Thaisa Galvão - A decisão dela não teria sido para dar lugar à candidatura do irmão, vereador do PMDB, aliado do pré-candidato a governador Henrique Alves?

José Dias - Não posso dizer que sim nem que não.

*

Thaisa Galvão - E se de repente Gesane estiver no palanque de Henrique, o senhor vai se surpreender?

José Dias - Não vou achar nada. O eleitor que votou nela é que vai ter que achar. O que eu acho mais importante de se observar nesse processo é o avanço, sem medo de estar pecando.

*

Thaisa Galvão - A deputada Gesane Marinho não estaria sendo assediada...

José Dias - É claro que por trás disso tudo há uma articulação do 'acordão'. O presidente da Câmara, o terceiro homem mais importante da República, não conseguiu tirar as candidaturas de Robinson e Fátima. E como ele acha que só ganha a eleição por WO, há em marcha uma articulação para desarticular nossa chapa proporcional. Tenho convicção absoluta que da mesma forma que Robinson e Fátima resistiram a acenos, ofertas e pressões, os nossos candidatos também vão resistir.

*

Thaisa Galvão - Que tipo de oferta o senhor se refere?

José Dias - Voto, eleição e oferta mesmo de ajuda financeira.

*

Thaisa Galvão - O senhor está dizendo que Henrique ofereceu dinheiro? A quem?

José Dias - Oferece a todos. Ele acha que cobre o preço de todo mundo. Dinarte Mariz não dizia que todo homem tem seu preço?

*

Thaisa Galvão - O senhor acha que todo homem tem seu preço?

José Dias - Parece que o presidente da Câmara encucou isso na cabeça. Eu acho que o preço das pessoas não é só avaliado pelo material fabricado na Casa da Moeda. Muitos ainda tem um preço moral, e nisso aí, eu vou dizer uma coisa, acho que Henrique não está muito rico não.

*

Thaisa Galvão - O senhor acha que houve oferta para Gesane?

José Dias - Não posso dizer que sim nem que não, mas acho que está perto de termos uma revelação.

*

Thaisa Galvão - Quem faria tal revelação?

José Dias - O comportamento das pessoas. As pessoas se revelam.

*

Thaisa Galvão - O senhor acha que a decisão de Gesane é irreversível?

José Dias - Não sei. Gostaria que fosse apenas uma notícia sem fundamento.

*

Thaisa Galvão - Gesane disse na nota que anunciou sua decisão, que havia compromisso de transferência de bases e que isso não teria ocorrido.

José Dias - Acredito que as bases que ela teve com apoio de Robinson na eleição passada deram a ela 48 mil votos. Além dos 20 mil da capital foram 28 mil do interior, e todas essas bases foram mantidas. E a deputada sabe porque tem experiência, que o crescimento da campanha de Robinson, como está acontecendo, facilita o apoio de lideranças.

*

Thaisa Galvão - O PT tem culpa nessa crise, por ter dificultado a coligação?

José Dias - Não posso culpar o PT porque o PT na sua totalidade não foi responsável. Foram responsáveis algumas pessoas do PT.


Fonte: Thaisa Galvão

MEGA-SENA; PRÊMIO DE MAIS DE MAIS DE 31,5 MILHÕES SAI PARA UM APOSTADOR DE MACAÍBA RN

 
A Mega Sena sorteada neste sábado (07 de Junho) pelo concurso da Mega Sena 1606 saiu para uma única aposta. 

O apostador é de Macaíba, cidade localizada na grande Natal, no Rio Grande do Norte. Ele acertou as seis dezenas sorteadas sorteadas pela Caixa em Campo Maior (PI).

O novo milionário potiguar vai levar sozinho o prêmio de R$ 31.559.293,88.

As dezenas sorteadas foram: 01 – 15 – 37 – 42 – 46 – 54. A Quina teve 101 bilhetes premiados e cada um vai levar R$ 36.444,91.
Fonte: Marcos Antonio

Umarizal recebe Expresso Judiciário nesta segunda-feira (9)

A comarca de Umarizal, localizada na região Oeste do Estado, recebe às 16h da próxima segunda-feira (9) o lançamento do Expresso Judiciário, programa do Tribunal de Justiça do RN que tem enfrentado a carência de juízes e servidores nas comarcas do interior do RN, por meio da atuação de forças-tarefa de juízes e servidores com o objetivo de dar resolução a processos judiciais que se encontram paralisados.
Segundo a coordenação geral do programa, em Umarizal, 216 processos deverão ter seguimento por meio da produção de sentenças, decisões e despachos. Atualmente, o acervo local chega a 1.568 feitos.
De acordo com diagnóstico prévio realizado na comarca, o Expresso tem o desafio de proferir 70 sentenças, 35 decisões e 111 despachos. Também estão previstas 43 audiências de conciliação e 111 audiências de conciliação e julgamento, além da realização de 17 Júris Populares.
A comarca, de acordo com dados divulgados pelo coordenador geral do Expresso, o juiz auxiliar da Presidência do TJ, Fábio Filgueira, contabiliza atualmente um acervo processual de 1.568 feitos, sendo 914 na Vara Cível, 398 na Vara Criminal e 256 nos Juizados Especiais Cível e Criminal.
Relativos ao trabalho da Secretaria da Vara, um total de 1.052 procedimentos deverão ser realizados para ajudar a movimentar os processos, como a elaboração de certificados, juntada de documentos, arquivamentos, além de outras diligências.
O juiz Fábio Filgueira lembra que uma das principais características do Expresso Judiciário é o seu trabalho de estruturação das comarcas beneficiadas. Antes da atuação do mutirão é feito um trabalho de diagnóstico geral da comarca, realizado por servidores que identificam o número de processos pendentes, entre a Justiça Comum e os Juizados Especiais, remetendo-os aos juízes designados.

FONTE: SITE DO TJRN

DILMA MANDA MAIS CINCO AGÊNCIAS DO INSS PARA O RN


garibaldi sao paulo
Durante a inauguração da Agência da Previdência Social (APS) de São Paulo do Potengi, realizada nessa sexta-feira (6), o ministro Garibaldi Alves Filho informou que outras cinco unidades de atendimento do INSS estão sendo construídas no Rio Grande do Norte. Os municípios de Goianinha, Nísia Floresta e Martins ganharão novas agências. Santo Antônio e Ceará Mirim receberão prédios para substituir as unidades já existentes. Além destas obras, a Previdência também está reformando a sede da Gerência Executiva do INSS em Mossoró e construindo um centro de documentação previdenciária, naquela mesma cidade.
“A construção de novas agências faz parte de um plano de expansão da rede de atendimento que prevê a implantação de 720 novas unidades em todo o país. Deste total, já foram inauguradas 328 agências, incluindo esta de São Paulo do Potengi. O objetivo do governo é evitar que o cidadão tenha que fazer grandes deslocamentos para ter acesso aos benefícios previdenciários. Hoje, o INSS dispõe de 1.708 agências para atender à população”, declarou o ministro Garibaldi Alves Filho.

SAIBAM O QUE DIZ A REVISTA VEJA SOBRE HENRIQUE EDUARDO ALVES

“Henrique é ditador, dá chilique e engaveta votação para não contrariar Dilma”, diz a Revista Veja


Revista ainda afirma que o presidente da Câmara dos Deputados só pensa em campanha

65U56U53U3U3U3
Ciro Marques
Repórter de Política
Desde que assumiu a presidência da Câmara Federal, no início de 2013, o deputado potiguar Henrique Eduardo Alves, do PMDB, sempre disse que a prioridade dele seria o Rio Grande do Norte. E, realmente, está sendo, sobretudo, quando se aproxima a Eleições 2014, quando o parlamentar disputará o governo do Estado. O problema é que o parlamentar poderia não só está “exagerando” nessa priorização, como também conduzindo os trabalhos no Congresso com uma postura ditatorial e com o mero objetivo eleitoreiro.
Quem aponta essa conduta é o jornalista Reinaldo Azevedo, da Veja. Em texto publicado no site da revista, ele afirma que o “presidente da Câmara e candidato ao governo do Rio Grande do Norte, decidiu que não vai colocar em votação, em regime de urgência, proposta de decreto legislativo que susta o famigerado decreto 8.243, da presidente Dilma Rousseff, aquele que atrela a administração pública federal ao PT por intermédio de conselhos populares formados pelos ditos ‘movimentos sociais’, que são controlados pelo partido. É que o digníssimo deputado está mais preocupado com a sua candidatura ao governo do Rio Grande do Norte do que com o país”.
Segundo a publicação, Henrique teria “engavetado” a votação porque não queria ficar mal com a presidente da República, Dilma Rousseff, do PT, que visitará Natal nos próximos dias para conhecer o novo aeroporto de São Gonçalo do Amarante e, na oportunidade, deverá elogiar o trabalho do presidente da Câmara, o que renderá a ele alguns votos – mesmo o PT estando, no RN, na oposição a chapa encabeçada por Henrique.
“Na próxima segunda, Dilma visita seu Estado. Vai fazer proselitismo no aeroporto São Gonçalo do Amarante. É aquele que foi inaugurado sem a regulamentação da alfândega, o que o impede de operar vôos internacionais”, citou o texto da Veja, relembrando o fato do Ministério Público Federal ter recomendado que os vôos internacionais continuem a ser feitos no Augusto Severo, pela falta de conclusão do terminal do novo equipamento.
Contudo, essa não é a única crítica feita a Henrique na publicação do texto. O presidente da Câmara também foi tratado como ditador, por mostrar uma postura autoritária, como se a votação de projetos dependesse da vontade dele. “Indagado sobre o motivo de não dar ao decreto legislativo tratamento de urgência, ele resolveu ter um chilique e se comportar como o ditador da Câmara, segundo informa a VEJA.com: ‘Não, [o decreto legislativo] não está pautado. Não vou pautar agora’. E ele disse o motivo ‘Porque eu não quero’”, citou o parlamentar.
“Dez partidos entraram com o pedido de urgência para votar o decreto: DEM, PPS, PSDB, Solidariedade, PR, PV, PSD, PSB, Pros e PRB. Juntos, somam 238 deputados. Para que um decreto legislativo seja aprovado, são necessários 257 votos – metade mais um dos 513 deputados”, acrescentou Reinaldo Azevedo.
O texto lembrou ainda que Dilma decidiu criar a sociedade civil por decreto, “o que é um delírio típico de ditadores”. “Caso o conteúdo do texto prospere, os petistas passarão, digamos assim, a ser sócios do poder sem precisar nem mesmo vencer as eleições”, analisou o jornalista.
“Com efeito, a Constituição permite mecanismos de consulta direta à população e estabelece três formas: plebiscitos, referendos e emendas de iniciativa popular. Não há nada no texto constitucional que determine que o país será governado em parceria com conselhos populares. A representação, segundo a Carta, se dá por intermédio do Parlamento. Em entrevista ao programa ‘Os Pingos nos Is’, nesta quarta, Rubens Bueno, líder do PPS, afirmou que, se Alves não puser em votação a proposta de Decreto Legislativo, os que se opõem à absurda iniciativa de Dilma passarão a obstruir a pauta da Câmara”, finalizou o parlamentar.
As ‘conquistas’ de Henrique só dos últimos dois dias
O Rio Grande do Norte, realmente, é prioridade na agenda de trabalhos do presidente da Câmara Federal, Henrique Eduardo Alves. Tanto que, só os últimos dois dias, o parlamentar já mandou mais de 15 (até o fechamento desta edição) releases (textos enviados a imprensa como sugestão de matéria) com os feitos ou os comentários dele.
Na relação de sugestões, matérias que, segundo a assessoria do parlamentar, benefícios que tiveram a influência direta dele para serem concretizadas, como o apelo de Henrique ao Ministério da Educação sobre a questão da UERN (que também foi feito pela governadora Rosalba Ciarlini); a nomeação do desembargador federal Luiz Alberto Gurgel para o cargo de ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ); e a votação do Plano Nacional de Educação (PNE), que tiveram entre os parlamentares potiguares Fátima Bezerra (PT) e Rogério Marinho (PSDB) os principais entusiastas.
Fonte: Jornal de Hoje

LEONARDO RÊGO AVISA QUE NÃO SOBE NO PALANQUE DE HENRIQUE ALVES

O Ex-prefeito de Pau dos Ferros, Leonardo Rêgo (DEM), em pronunciamento na tarde deste sábado (07), na Rádio Cultura do Oeste, desmistificou informações que foram publicadas em praticamente toda a imprensa do estado dando conta de um, suposto, clima de animosidade que estaria existindo entre ele e o Senador José Agripino Maia, Presidente Nacional do DEMOCRATAS.
Segundo o que foi noticiado (Relembre AQUI), o clima teria azedado em virtude das manifestações de apoio do Deputado Estadual, Getúlio Rêgo, ao projeto de reeleição da Governadora, Rosalba Ciarlini, contrariando a tese de priorizar a chapa proporcional defendida pelo Senador Agripino.
De acordo com Leonardo Rêgo nunca existiu esse clima de discordância entre ele José Agripino e Felipe Maia, disse que tal fato teria sido criado pela própria imprensa e que entendia a posição do Senador de querer priorizar a proporcional em face das complicações jurídicas da governadora, porém, salientou que Rosalba vai tentar dirimir estes problemas para tornar seu projeto político viável do ponto de vista judicial.
Sobre a possibilidade dos membros do DEMOCRATAS optarem em convenção partidária pela formação de uma aliança na proporcional, descartando a tese de candidatura própria, Leonardo sinalizou claramente que, caso seu partido siga esta vertente, não subirá no palanque do pré-candidato a Governador, Henrique Alves (PMDB), e da pré-candidata ao Senado, Wilma de Faria (PSB), em razão das incompatibilidades políticas verificadas no âmbito local.
"Nós não vamos contrariar os interesses do povo. Alguém poderá dizer quem em 2006 o PFL se aliou ao PMDB, mas naquela época o nosso partido tinha uma candidata ao Senado Federal que era Rosalba Ciarlini. Inclusive, ela venceu Fernando Bezerra que contava com o apoio de uma centena de prefeitos. Agora, menosprezar a situação local? De forma alguma. Seja qual for a decisão do partido, esperamos que seja favorável, nós vamos reunir os amigos e debater a realidade e o futuro do nosso grupo. Ninguém é obrigado a subir no palanque de ninguém, quanto mais com a língua cortada. Eu não vou entrar em contradição com o que eu sempre disse. Esse povo que faliu a cidade merece compartilhar palanque comigo? Nem na China!", disparou o ex-gestor pau-ferrense.

Fátima se reúne com o PT, vereadores, lideranças e ex-prefeito de Areia Branca

fatima vereadores
Em Areia Branca, a deputada federal Fátima Bezerra (PT) se reuniu no sábado (07), na Câmara Municipal, com vereadores, o PT e lideranças locais. Pauta: demandas do município e eleições 2014. Na oportunidade, Fátima Bezerra também conversou com o ex-prefeito Souza. Estiveram presentes na reunião, os vereadores Netinho Cunha (PSB), João Paulo Borja (PC do B), Antônio Carlos (PC do B), Duarte Júnior (PR), Alderi Batista (PPS), Tonho da Cohab (DEM), Nazareno Lemos (DEM) e Sandro Góis (PV).

Prefeita de Brejinho diz que divergências locais serão superadas na formação do palanque de apoio à Henrique

prefeita brejinho
A prefeita de Brejinho, médica Ivete Matias aproveitou o encontro que seu partido PR fez, neste domingo (08) em sua cidade, reunindo mais de 200 lideranças de 43 municípios do Agreste, Potengi e Trairi para reafirmar que as divergências locais com seus adversários políticos, não serão nenhum empecilho para acompanhar os projetos do Partido da República nas eleições deste ano. Ivete é um exemplo claro de alguém que travou uma disputa nas últimas eleições municipais contra um candidato do PMDB, partido aliado do PR nas eleições estaduais, onde o deputado federal João Maia será homologado nas convenções do dia 27 deste mês, companheiro de chapa de Henrique Alves (PMDB).
Em seu discurso, Ivete falou em lealdade e reconhecimento, ao reafirmar sua decisão. “Quando quase ninguém acreditava na minha candidatura, João Maia veio aqui, me abraçou e esteve ao meu lado o tempo todo. Ganhamos as eleições, e agora o quadro é outro. É hora de travarmos uma disputa pensando no bem do nosso Estado. E isso é muito maior do que entrar nessa discussão de se aliar ou não aos adversários”, disse a prefeita.

Base política de Dilma está rachada em dez estados e no DF

dilma pros
O Correio Braziliense destaca que a quatro meses das eleições, a extensa base aliada da presidente Dilma Rousseff deve entrar rachada em pelo menos dez  estados e no Distrito Federal. Embora nas convenções nacionais as direções das legendas acreditem que os candidatos estaduais apoiarão a aliança com o PT para o Planalto, Dilma terá dificuldade em escolher quais palanques frequentará.
Em outros, como no caso de Ana Amélia (PP-RS) e, possivelmente, Rebeca Garcia (PP-AM), quem terá vaga é o tucano Aécio Neves. Em Mato Grosso do Sul, o apoio do peemedebista Nelson Trad Filho foi dado a Eduardo Campos (PSB). Como não há verticalização nestas eleições, os candidatos aos governos estaduais poderão dar o apoio aos presidenciáveis que desejarem, desde que os partidos estejam coligados no plano local.
Dos partidos da base, o que apresenta situação mais adversa ao Planalto é justamente aquele que deve anunciar o primeiro apoio oficial amanhã: o PMDB. A legenda tem 18 candidatos a governador. Desses, 12 garantiram ao comando partidário que apoiarão Dilma. O problema é que, em estados estratégicos, como o Rio de Janeiro e o Ceará, o cenário não é auspicioso.