25 de out de 2013

Prefeito Mano cria comissão interna para tentar conter gastos em meio a crise financeira.


O prefeito Mano está tomando todas as medidas cabíveis para cumprir os compromissos com fornecedores e o funcionalismo público municipal em meio a crise financeira enfrentada pelo município e pelas demais cidades do Rio Grande do Norte. Em entrevista nesta quinta-feira, 24, no programa Evidência, pela FM Fraternidade, o chefe do executivo umarizalense, disse que montou uma comissão para tentar conter gastos e evitar medidas mais enérgicas caso os repasses de recursos para o município continuem em queda.

“Montei uma comissão de controle interno para fazer  o controle de gastos do município. A gente tá procurando de todas as formas soluções para não ter que chegar a precisar demitir alguém. Vamos fazer de tudo que isso não aconteça”, disse o prefeito.

Mano disse que já era esperado que os recursos do FPM – Fundo de Participação dos Municípios iriam ter queda no decorrer do ano, mas não imaginou o quanto. “Sabíamos que ia ser ruim, mas ruim desse jeito que tá!? A situação tá péssima”, disse Mano.

O prefeito disse participou do ato em favor das cidades do RN em Natal, o “SOS Municípios” e espera uma resposta do Governo Federal. “É preciso pressionar o Governo para que a presidente Dilma tome alguma providência. Ela tem que dá uma ajuda pra que os municípios brasileiros consigam respirar”, completou.


FONTE: PMU DE UMARIZAL

Decisão sobre reabertura do hospital de Umarizal sai em novembro, diz prefeito.



A decisão sobre a reabertura ou não do Hospital Maternidade Dr. Érico Onofre irá sair até novembro. Foi o que disse o prefeito Mano em entrevista nesta quinta, 24, no programa Evidência pela FM Fraternidade. O chefe do executivo disse que já está trabalhando pela reabertura e que muito provavelmente ela ocorra definitivamente no mês que vem.
“Final de novembro a gente volta aqui à rádio com uma posição concreta pra dizer se abre ou não. Mas adianto que tudo está caminhando para que seja reaberto, se Deus quiser”, informou.

Mano disse que está estudando o financeiro da Prefeitura de Umarizal e o vereador Érico Onofre está vendo os recursos da Apami, entidade responsável pelo hospital. “Estamos tralhando para reabrir”, concluiu.
 
 
FONTE: PMU DE UMARIZAL

No último sorteio de casas populares de Olho D'água do Borges-RN só saiu a 'pedra verde'. E no próximo? Oposição está de Olho. Confira

FOTO:http://www.professorescolastico.com.br


ESSA GUERRA VAI LONGE ...... A POLÍTICA DESSA CIDADE SEMPRE FOI ASSIM ACIRRADA, MAS A OPOSIÇÃO JÁ VEM PERDENDO A BASTANTE TEMPO EU QUE TEM QUE MUDAR A FORMA DE TRABALHO PRA VER SE CHEGA NO PODER.

TEXTO - CLEUMY CANDIDO FONSECA

GOVERNO DE ROSLABA DEVE 60 MILHÕES AOS MUNICÍPIOS.

O Governo do Rio Grande do Norte confirma que deve r$ 60 milhões aos municípios do Rio Grande do Norte,mas não tenho como pagar.O dinheiro ddevido pelo estado as prefeituras do Rio Grande do Norte é referente a farmácia básicaque é única e exclusiva de responsabilidade do estado e que vinham sendo assumida pelos municípios. tags:governo do RN.

"No meu governo não tem corrupção, nem Hígia e Foliaduto", dispara Rosalba contra Wilma.


Matéria publicada no Jornal de Hoje destaca que a governadora, Rosalba Ciarlini (DEM), defendeu a lisura do seu governo, afirmando que não há escândalos e que combate a corrupção. Ele chegou a fazer menção indireta à ex-governadora Wilma de Faria, presidente estadual do PSB e atual vice-prefeita de Natal, afirmando que na atual gestão inexistem escândalos de corrupção, diferentemente da gestão da antecessora.

"Olhe, em meu governo não tem escândalo de saúde, Operação Hígia, de se contratar banda de forma irregular, não houve nada disso. Nós temos, inclusive, tido uma postura de total combate à corrupção", afirmou a governadora.

As respostas de Rosalba se derem no contexto de defesa às declarações de Wilma no dia anterior, quando a ex-governadora acusou a gestão atual de má administração e de falta de transparência. Quanto a isso, Rosalba disse que "esse governo tem um Portal da Transparência, está lá na internet, para todo mundo ver o que se paga, o que se deixa de pagar, às vezes até sendo questionado, levantam, comentam, porque está ali dizendo claramente os recursos e como estão sedo gastos", observou.

Durante a sua entrevista, Rosalba afirmou que o seu governo é transparente e que não teme investigações do Ministério Público. Lembrando que os questionamentos quanto ao orçamento estão sendo respondidos, ela afirmou que, quem não deve, não teme. 

"Entregados todos os extratos. Porque nós não temos medo de Ministério Público. A transparência existe nesse governo, tanto que existe um Portal da Transparência, coisa que não existia no passado. Qualquer informação (solicitada com vistas à investigação) nós entregamos sem nenhuma dificuldade. Abrimos as portas do Estado, entregamos todos os extratos bancários, porque quem não deve não teme", disse Rosalba.

A chefe do executivo estadual classificou de "difícil" a situação financeira do Estado, justificando o atraso nos salários no mês passado. Quanto a se atrasará novamente os vencimentos referentes a outubro, a governadora disse que está avaliando as condições. Ela disse ainda que poderá fazer "mais restrições" para que o Estado pague os servidores.

Dilma venceria Aécio, Marina ou Campos no 1º turno, segundo Ibope.


Pesquisa Ibope sobre a sucessão presidencial mostra que a Presidente Dilma Rousseff (PT) venceria no primeiro turno se as eleições fossem hoje e seus adversários fossem Aécio Neves, pelo PSDB, e Marina Silva ou Eduardo Campos, pelo PSB.

Em três dos quatro cenários avaliados pelo instituto, Dilma tem entre 39% e 41% das intenções de voto, mais do que a soma das preferências pelos adversários. Em apenas um dos cenários, com Serra e Marina na disputa, a petista não supera a soma dos adversários.

No quadro visto hoje como mais provável para 2014 (Dilma contra Aécio e Eduardo Campos), a presidente teria 41%, o governador de Minas Gerais, 14%, e o governador de Pernambuco, 10%.

Com Marina no lugar de Campos, ela teria mais que o dobro dos votos dele, chegando a 21%. Mas Dilma praticamente não perderia eleitores: oscilaria de 41% para 39%. O mesmo aconteceria com Aécio, que passaria de 14% para 13%.

Se os concorrentes fossem Dilma, Serra e Campos, eles teriam 40%, 18% e 10%, respectivamente. A vantagem da petista sobre a soma dos adversários, neste caso, seria de 12 pontos porcentuais.

A presidente aparece com 39% quando os adversários são Marina (21%) e Serra (16%) - neste caso, ela fica em situação de empate técnico com a soma das intenções de voto dos outros dois candidatos (37%).

Em um eventual segundo turno, Dilma venceria todos os adversários avaliados pela pesquisa Ibope/Estadão. Contra Marina Silva - o cenário mais apertado - , a presidente venceria por 42% a 29%. Com Eduardo Campos na disputa, a presidente teria vantagem de 27 pontos porcentuais, vencendo por 45% a 18%.

A distância seria similar, de 28 pontos, se Aécio (19%) participasse hoje de uma disputa direta contra a presidente (47%). Uma repetição do segundo turno de 2010, com Dilma e Serra, terminaria com a vitória da primeira por 44% a 23%.

O Ibope ouviu 2.002 eleitores em 143 municípios entre os dias 17 e 21 de outubro. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.