16 de dez de 2011

"MAIS DETALHES SOBRE AS PRISÕES NA CIDADE DE MARTINS"


Promotores Alexandre Frazão, Alisson Dantas e Sergio Gouveia durante coletiva falaram sobreOperação
Preso na manhã de ontem (15), o presidente da Câmara Municipal de Martins, a secretária de saúde do município de Severiano Melo, Isabele Cristinie ainda o empresário da Empresa Concsel e Soluções, Antonio Laurentino e seu filho, Gesiel de Paiva Ramos. De acordo com os promotores responsáveis pela Operação KI, as prisões deles se deu em conseqüência do possível envolvimento dos mesmos em fraude de concursos públicos realizados nos municípios de Martins e Severiano Melo.
As prisões ocorreram após quatro meses de investigação acerca de concursos realizados pelas empresas Concsel em municípios do interior do Estado.
De acordo com os promotores, o Ministério Público do Rio Grande do Norte desencadeou a Operação "Q.I", dando cumprimento a quatro mandados de prisão e nove mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Juízo de Direito da Comarca de Martins, resultando na prisão de mais três pessoas em razão de flagrantes de crimes, totalizando sete pessoas presas.
Promotores não confirmam mas novas prisões podem ser decretadas
Durante a coletiva, os promotores, Alexandre Frazão, Alisson Dantas e Sergio Gouveia procuraram evitar falar de foram mais concreta sobre o envolvimento de outras pessoas e a possível decretação de novas prisões nos próximos dias. Alegando que as investigações estão ocorrendo de forma de sigilo, eles disseram apenas que somente após analisar esse material recolhido hoje e o depoimentos dos presos é que será possível solicitar ou não novos pedidos de prisão. "Como estamos realizando a operação em segredo de justiça, alguns fatos como a possibilidade ou não de novos pedidos de prisão não podem ser confirmados. Somente após a análise das provas colhidas hoje será possível decidir ou não por novos pedidos de prisão", disse Alexandre Frazão.
Participaram da operação 19 Promotores e, 120 policiais militares cumpriram as ordens judiciais
A operação contou com o apoio da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal, com diligências de buscas e prisões simultâneas nas cidades de Natal, Parnamirim, Martins, Mossoró e Severiano Melo, onde 19 Promotores de Justiça e mais de 120 policiais militares cumpriram as ordens judiciaisA investigação iniciou-se na Comarca de Santa Cruz e posteriormente passou a ser conduzida pela Promotoria de Justiça de Martins juntamente com o Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (GAECO), descortinando uma organização criminosa que atuou na realização de concursos públicos no interior do Estado e, notadamente, no município de Martins/RN no mês de outubro deste ano.
Quadrilha atuava na realização de concurso em vários município
A quadrilha fraudava os concursos públicos através de acordos ilícitos para o ingresso de pessoas no serviço público através do pagamento de "propina" e concessão de outros favores. A investigação comprovou que o esquema comandado pelos sócios da empresa organizadora de concursos públicos CONCSEL, aprovam pessoas indicadas por integrantes dos Poderes Executivo e Legislativo dos municípios ou através do pagamento de valores direto pelo próprio candidato. Os candidatos assinavam gabaritos fraudados, preenchidos pela própria organização criminosa em momento posterior à realização das provas com a marcação de respostas corretas em número suficiente para a aprovação dos favorecidos.

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 09:32

Nenhum comentário:

Postar um comentário