23 de dez de 2011

Sandra Rosado: "PSB encerra 2011 mais fortalecido"

Sandra Rosado

“Podemos dizer que encerramos 2011 mais fortalecidos”. É o que diz a líder do partido na Câmara dos Deputados, deputada federal Sandra Rosado (RN). Na sua avaliação, o fortalecimento do PSB na Câmara permitiu que a legenda atuasse com mais força nas decisões do Parlamento. “Mostramos que temos força e estamos unidos em torno de um projeto para o País. Prezamos pela unidade. Estivemos presentes e votamos a favor em todos os projetos que resultam em melhorias para o nosso povo”, afirma.

Na última semana, o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), apresentou balanço dos principais projetos votados no ano. A política de valorização do salário mínimo, o Código Florestal, a prorrogação da Desvinculação dos Recursos da União (DRU) e a discussão sobre os royalties do Pré-Sal foram os temas que nortearam os debates em 2011. A posse de 34 deputados socialistas, com a ampliação da bancada em 26% permitiu ao PSB participar mais ativamente dessas decisões.

Diante do balanço feito pelo presidente Marco Maia, a líder do PSB acredita que o fortalecimento da sigla no Congresso condiz com a postura do partido em plenário. Ciente de que a prorrogação da DRU é importante para o país conter os efeitos da crise econômica, a bancada votou favorável ao projeto. A DRU permite que o governo utilize livremente 20% dos recursos vinculados pela Constituição. “Nosso partido reconheceu que a DRU é importante para o equilíbrio financeiro do país.”, explicou a Sandra Rosado, em Plenário, no ato de votação da proposta.

O PSB também teve posição semelhante na votação do Projeto de Lei 382/11, que criou a política de valorização do salário mínimo. Transformado em lei, o PL permitiu que o salário mínimo fosse reajustado neste ano para R$ 545. Na votação do Código Florestal, o Partido se uniu em torno de emendas que preservassem a diversidade ecológica do país sem prejudicar pequenos agricultores.

Já nos debates sobre a divisão dos royalties do pré-sal, a bancada socialista respeitou as diferenças entre os parlamentares que são contra e a favor do Projeto de Lei 2.565/2011, que redistribui os royalties. “Nós do PSB decidimos indicar os nomes para compor a comissão paritariamente entre os que são contra e são a favor da proposta para que haja equilíbrio”, explica a líder.

POSTADO POR CLEUMY CANDIDO FONSECA ÁS 07:57

Nenhum comentário:

Postar um comentário