24 de set de 2018

Segundo turno no RN / FIERN/Certus mostra redução do número de indecisos para o governo



A duas semanas do dia das eleições, a mais nova rodada da pesquisa Certus/FIERN mostra uma redução dos percentuais dos eleitores que afirmam, na intenção de voto para governador, estarem indecisos ou com disposição de não votar em nenhum dos candidatos. Ao mesmo tempo, há oscilações positivas ou crescimento dos percentuais das candidaturas. A pesquisa foi aplicada entre os dias 14 e 17 de setembro. 
        
 Na sondagem estimulada, na qual são apresentados os nomes dos candidatos durante a aplicação dos questionários, Fátima Bezerra (PT) tem 36,24% das intenções de voto, seguida por Carlos Eduardo (PDT), com 21,21%. Robinson Faria (PSD) aparece com 10,43%. Os demais candidatos têm abaixo de dois pontos percentuais: Brenno Queiroga (Solidariedade), com 1,99%; Professor Carlos Alberto (PSOL), 1,91%; Dário Barbosa (PSTU), com 0,43%; Freitas Júnior (Rede), 0,43%; Heró Bezerra (PRTB), 0,21%. Ainda responderam “nenhum”, 19,65%; e “não sabe”, 7,52%.  

   Na estratificação por grau de instrução, o melhor desempenho da Fátima Bezerra é entre os eleitores que não sabem ler nem escrever, entre os quais ela chega a 39,80%. Carlos Eduardo chega aos percentuais mais elevados entre os eleitores com terceiro grau, completo ou incompleto, entre os quais ele vai a 23,72%. Robinson Faria tem o desempenho mais expressivo também entre os que não sabem ler nem escrever, com 13,27%.     Na distribuição por ocupação, Fátima Bezerra entre os funcionários públicos, vai a 42,86%, e trabalhadores informais vai a 43,97%. Também tem desempenho expressivo entre os estudantes, com 38,04%. Carlos Eduardo registra os índices mais altos entre os aposentados, com 26,72%; e servidores públicos, com 24.11%; e trabalhadores da área privada, com 23,23%. O melhor desempenho de Robinson Faria é entre os empresários, com 16,67%, e estudantes, com 15,22%.   

  Na segmentação por regiões do Estado, Fátima chega a 48,39% no Alto Oeste; Carlos Eduardo a 32,39% na Grande Natal; e Robinson Faria, a 15,90% no Agreste e Trairi.          Ao considerar apenas os votos válidos — ou seja, as opções feitas por um dos candidatos, sem computar nulos, brancos e indecisos, que é como a Justiça Eleitoral calcula e oficializa o resultado na apuração dos votos — Fátima Bezerra tem 49,76%. Isso significa que ela pode variar, no limite da margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, entre 46,76% e 52,76%. Carlos Eduardo fica, na soma dos votos válidos, com 29,11%, ou seja, uma possibilidade de variação entre 26,11% e 32,11%. Robinson faria aparece com 14,31%, possibilidade de variar entre 11,31% e 17,31%.    
    
 Os números das pesquisas anteriores da Certus/FIERN mostram que Fátima Bezerra tinha 29,15%, em julho; foi para 32,84%, em agosto; e nesta nova rodada, em setembro, passou para 36,24%. Carlos Eduardo foi de 15,39%, em julho; para 15,74%, em agosto; e agora chegou a 21,21%. Robinson Faria tinha 6,31%, em julho; foi para 8,37%, em agosto; e passou para 10,43%, nesta sondagem de setembro.     As variações de eleitores que afirmam não votar em nenhum dos candidatos e que “não sabem” quem escolher mostram uma progressiva definição do voto na eleição para governador no Rio Grande do Norte. Responderam “nenhum” 34,11%, em julho, 29,08%, em agosto; e 19,65%, em setembro. Afirmaram “não sabe” em qual candidato votar 10,43%, em julho; 9,28%, em agosto; e 7,52%, em setembro.     Rejeição     A pesquisa também perguntou aos eleitores em qual candidato não votaria de jeito nenhum. Robinson Faria tem rejeição de 36,10%, com maior índice entre as mulheres (37,96%). 

A rejeição de Fátima Bezerra é de 13,30%; com índice maior entre os homens, chegando a 16,36%. Carlos Eduardo tem rejeição de 9,49%, com percentual mais elevado entre os homens, com 11,21%. A rejeição dos demais candidatos foi a seguinte: 2.5%, no caso de Dário Barbosa; 2% Brenno Queiroga; 1,69%, Heró Bezerra; 1,25%, Freitas Júnior; e 1%, professor Carlos Alberto. Ainda há os que rejeitam todos (12,8%), rejeita nenhum (18,18%).    

 As tabulações informam ainda sobre a fidelidade do voto dos candidatos ao governo. Afirmaram que a escolha é definitiva 72,96% dos eleitores, enquanto 26,72% afirmaram que podem mudar. Fátima Bezerra tem um percentual de fidelidade de 76,94%; Carlos Eduardo, de 72,54%; e Robinson Faria, de 68,46%.     Entre os eleitores que afirmam estar indecisos — ou seja, respondem ‘não sabe’ quando indagado sobre a intenção de voto para governador —, 13,39% respondem ter mais chance de votar em Fátima Bezerra; 5,36% em Carlos Eduardo; e 8,93% em Robinson Faria. Dos que afirmam que vão anular ou votar branco – significa que respondem nenhum quando indagados na preferência para o governo — 11,27% afirmam que se resolver votar em algum candidato, escolheria Fátima Bezerra; 3,27% Carlos Eduardo; e 3,27% em Robinson Faria.    

 Na análise dos votos casados no cruzamento das escolhas para presidente e governador; dos eleitores de Fernando Haddad, 71,13% escolhem Fátima Bezerra; 45,5% dos eleitores de Ciro Gomes, também votam na candidata do PT ao governo. Dos que preferem Geraldo Alckmin, 47,62% afirmam votar em Carlos Eduardo; que também tem a preferência de 35,71 dos que declaram escolher Jair Bolsonaro para presidente.     Os entrevistados pelo instituto também responderam sobre o que poderá fazer optar por um dos candidatos. O maior índice foi dos que apontaram “propostas apresentadas nos programas eleitorais”: 38,68%. A segunda resposta foi “o candidato”, por 21,70.    

 Ao informar qual dos candidatos a governador que apresenta a proposta que mais chamou a atenção de forma positiva, responderam Fátima Bezerra 22,84%; Carlos Eduardo, 13,12%; e Robinson Faria, 5,32%. Ao apontar o assunto desta proposta, disseram educação 29,09% e segurança, 27,99%.     Nas intenções de voto espontâneas, na qual o entrevistador não cita o nome dos candidatos para indagar sobre a preferência do eleitora os percentuais foram os seguintes: Fátima Bezerra, 22,70%; Carlos Eduardo, 12,77%; e Robinson Faria, 5,82%. Afirmam “nenhum”, na espontânea, 20,43%; e não sabe, 36,24%.     Independentemente da decisão sobre em quem vai votar, consideram que Fátima Bezerra vai para o segundo turno, 34,63%. Afirmaram que Carlos Eduardo vai para o segundo turno 28,18%; e Robinson Faria, 16,02%.     A pesquisa aplicou três cenários para o segundo turno: Fátima Bezerra 47,80% X Carlos Eduardo 32,98%; Carlos Eduardo 51,91% X Robinson Faria 19,65%; Fátima Bezerra 55,32% X Robinson Faria 18,37%.     

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com os números: BR-04034/2018 e RN-07782/2018.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário