5 de abr de 2017

“Acredito na reeleição de Robinson para ele vencer a crise”, diz presidente da Caern

Presidente da CAERN cita progressos das obras da companhia e afirma que o governador vem enfrentando bem as dificuldades de sua gestão
robinson
Divulgação
Governador Robinson Faria está no terceiro ano de mandato

As próximas eleições para governador do Rio Grande do Norte só ocorrem em 2018, mas desde agora há quem já esteja apostando suas fichas em possíveis candidatos para o pleito. Caso de Marcelo Toscano, presidente da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern). Para Toscano, o atual ocupante do cargo, Robinson Faria (PSD), precisa se candidatar à reeleição para gerir o estado por mais quatro anos e concluir sua batalha contra as diversas ramificações da crise que assola o país, afinal, o administrador da Caern não acredita que Robinson tenha tido tempo suficiente para enfrentar a crise, muito embora não tenha se escondido dela.

“Há uma crise gigantesca – são problemas financeiros, políticos, hídricos, penitenciários, de funcionalismo… Mesmo assim, Robinson consegue encará-la. Ele tem essa característica de mostrar a cara e não se esconder, só que isso é um trabalho a longo prazo. Você não pega uma crise dessas e consegue resolvê-la em um, dois, três anos. É um esforço de longo prazo. É muito difícil se fazer um trabalho de gestão em quatro anos, encontrando o estado quebrado do jeito que está e com essas crises. É preciso ter oportunidade para dar resultados. Espero que o governador seja candidato à reeleição e que ele seja reeleito. Pela transparência que ele tem mostrado e pelo trabalho que tem feito, acredito em sua reeleição”, avaliou Toscano, em entrevista concedida ao Agora Jornal.
Em janeiro, a penitenciária de Alcaçuz testemunhou a maior chacina de sua história, quando 26 presos foram mortos em um confronto entre facções. Já no segundo semestre de 2016, por conta das instalações de bloqueadores de sinais de celulares na Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), as ruas de vários municípios do Rio Grande do Norte foram alvos de retaliações de bandidos, membros destas mesmas facções. Fora a crise no sistema penitenciário, o funcionalismo estadual enfrenta dificuldades por nem sempre receber seus salários em dia. Marcelo Toscano acredita que, apesar de todos esses problemas, Robinson tem administrado bem o estado potiguar.
“O setor penitenciário tem avançado, por mais problemático que seja. Essa bomba ia estourar na mão de alguém e estourou na mão dele, e ele não se esquivou de enfrentá-la. Já por causa da crise do funcionalismo público, o estado não consegue mais pagar a folha o dia. Minas Gerais e Rio Grande do Sul estão enfrentando o mesmo problema. Robinson está fazendo todo o possível, sempre mantendo diálogo com as instituições e com os poderes”.
Companhia já executou 65% das obras de saneamento de Natal
Para ajudar o governador a desenvolver o estado, a Caern tem administrado um número de obras importantes. Uma das mais esperadas é a implantação da rede de esgotos na capital. Segundo o presidente da companhia, cerca de 65% dos trabalhos já estão concluídos e a previsão é de que sejam finalizados até outubro, beneficiando a população natalense, principalmente a que vive na zona Norte da cidade. Ao todo, o governo estadual, em parceria com o governo federal, está investindo mais de R$ 600 milhões nas obras, incluindo reajustamento e contrapartida.
“A obra está no cronograma físico e financeiro dentro do esperado. Estamos com cerca de 60% a 65% de rede implantada em 800 quilômetros – é quase a distância entre Natal e Salvador; a zona Norte tem maior índice de rede implantada, até porque em toda a região só havia 3% de esgoto para pouco mais de 300 mil habitantes”, explica. “Estamos começando as estações de tratamento de esgoto, que é a segunda etapa de planejamento da companhia. É uma obra de suma importância para a população da zona Norte e esperamos concluir as estações até o final do mandato do governador Robinson. Além disso, começamos também a terraplanagem da zona Sul, na Jundiaí-Guarapes”, elenca o presidente da Caern.
Toscano, por fim, citou os benefícios que as obras da Caern trarão para o estado. O presidente da Caern lembrou todos os esforços feitos para conseguir 100% do saneamento em Natal. “Hoje temos 36% de saneamento na cidade e estamos trabalhando para que Natal seja a primeira capital brasileira totalmente saneada. Isso requer saúde e crescimento – não existe nenhum população no mundo que se desenvolva economicamente e arrecade investimentos sem saneamento.
A zona Norte, por exemplo, tem um limitador – o Plano Diretor – porque não há saneamento. Mas no momento em que há, poderemos ter mais investimentos naquela região. Em São Vale há uma decisão judicial que proíbe qualquer tipo de construção na região até que se faça o saneamento lá – vamos iniciar as obras lá provavelmente em abril para que haja um crescimento naquele área”, planeja. “Obras como essas são um feito não apenas para a cidade, mas também para o estado e, principalmente, para a população. Na crise econômica que o Brasil vive, conseguimos manter essas obras em andamento e ainda conseguimos gerar empregos”, celebra Marcelo Toscano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário