1 de abr de 2014

Oposição não admitirá tentativa do governo de desviar foco da CPI, diz Agripino

Notícias

jos

Oposição não admitirá tentativa do governo de desviar foco da CPI, diz Agripino

O líder do Democratas no Senado, José Agripino (RN), disse que, caso a base aliada se articule e amplie o leque de investigação da CPI da Petrobras, a oposição entrará no Supremo Tribunal Federal (STF) para barrar a tentativa. “É impossível colocar fatos nada relacionados com o escândalo da Petrobras na largada da CPI. Se ao longo da investigação houver correlação com o fato, tudo bem, tem que ser inserido. Agora, se forçarem a barra para isso, vamos ao Supremo”, avisou.
Com medo de que as investigações da CPI repingue no governo do PT e na campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff, a base aliada quer desviar o foco e ampliar a linha investigação da comissão parlamentar. A ideia é inserir escândalos envolvendo a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig); o Porto de Suape e a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco; o Metrô de São Paulo; e a gestão do PSB à frente do Ministério de Ciência e Tecnologia.
CPI mista e outra no Senado
Líderes partidários do Democratas, PSDB, PPS e Solidariedade voltaram a se reunir na manhã desta terça-feira (1º) para estabelecer estratégias pela colher mais assinaturas pela instalação da comissão mista. A previsão é de que a CPI mista seja instalada até amanhã (2). Até agora, a oposição conta com o apoio de 192 deputados, 21 nomes a mais do necessário para a instalação da CPMI. A coleta de assinaturas será intensificada durante almoço hoje com parlamentares da oposição.
Em relação à instalação de duas CPIs – uma mista e outra só no Senado -, Agripino disse que a estratégia da oposição é, ainda, insistir nas duas, mas admite que a mista amplia a participação dos parlamentares. “Uma CPI mista agrega valores, vozes ao argumento porque aumenta a participação dos líderes partidários”, frisou.
A comissão parlamentar irá apurar, principalmente, suspeitas de superfaturamento na compra da refinaria de Pasadena (EUA), as denúncias de desvios de recursos nas obras da refinaria de Abreu e Lima e de pagamento de propina pela empresa holandesa SBM Offshore a funcionários da Petrobras.

FONTE:FACEBOOK DO SENADOR JOSÉ AGRIPINO

Nenhum comentário:

Postar um comentário